Após se reunir com o comitê local de gestão sanitária, o prefeito de Alegrete (Fronteira-Oeste), Márcio Amaral, emitiu um decreto determinando toque-de-recolher, na tentativa de conter o avanço da pandemia de coronavírus. A medida entrou em vigor às 21h desta sexta-feira (20), mesmo dia em que a região recebeu do governo gaúcho a bandeira vermelha (alto risco) no novo mapa preliminar do distanciamento controlado.

Depois desse horário, ninguém poderá sair à rua, exceto em situações de urgência ou para deslocamentos essenciais. Também estão vetados esportes coletivos, treinos de laço e ensaios de invernadas. Já os estabelecimentos do segmento de alimentação só poderão ser funcionar por meio de tele-entrega.

O cumprimento da ordem ficará a cargo de uma equipe de fiscais da administração municipal. Esse controle contará com o apoio de integrantes da Guarda Municipal e BM (Brigada Militar).

De acordo com o chefe do Executivo, a expansão local da pandemia, com elevado número de casos diários na cidade e a lotação máxima de UTIs [Unidades de Tratamento Intensivo] para pacientes necessita de “uma resposta à altura”, a fim de evitar o colapso no sistema de saúde alegretense.

“Precisamos que todos façam a sua parte, para mudarmos essa realidade em nosso município”, frisou durante entrevista coletiva no início da tarde, antes da divulgação da nova rodada do distanciamento pelo Comitê de Crise do Palácio Piratini. “Seguiremos fazendo a nossa e tudo o que for preciso para cuidar das pessoas.”

O mais recente boletim epidemiológico da SES (Secretaria Estadual da Saúde) detalhou que Alegrete tem, desde março, 1.264 testes positivos de coronavírus. Já os óbitos por Covid totalizam 20 habitantes da cidade.

(Marcello Campos | O Sul)