Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

O governo do Ceará assinou acordo com o Instituto Butantan, na última terça-feira (22/12), que prevê o recebimento de 2 milhões de doses da Coronavac a partir de janeiro de 2021. O preço será acertado entre a instituição e a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa).

O documento ainda informa que há probabilidade de entregas adicionais da vacina em fevereiro, e com maior volume a partir de maio. O governo do estado considerou que o imunizante está em estágio avançado de desenvolvimento e que os resultados são promissores. As informações são do G1.

“O Instituto Butantan e a Sesa devem trabalhar juntos para concluir, em tempo oportuno, um acordo vinculante que contenha termos e condições definitivos para aquisição, fornecimento, distribuição e aplicação do imunizante. A aplicação é de responsabilidade da Sesa”, diz o texto do governo cearense.

O secretário da pasta, dr. Cabeto, alegou que a Sesa apoiará todas as iniciativas que apresentarem vacinas disponíveis para aplicação o mais rápido possível. “Quanto mais cedo, melhor. A Sesa tem trabalhado para garantir a vacinação de forma rápida e segura”, destacou.

Histórico

A vacina chinesa concluiu nesta semana a terceira fase de testes, estágio em que a eficácia precisa ser comprovada antes da liberação para a população. O Instituto Butantan ainda precisa enviar um relatório para a Anvisa para que o insumo seja liberado.

No Brasil, a vacina foi testada em 16 centros de pesquisas, em sete estados e no Distrito Federal. Aproximadamente 12,5 mil voluntários brasileiros participaram dos testes.

Fonte: Metropoles