Filho é suspeito de matar mãe e família se diz “estraçalhada” após o crime – Porto Alegre 24 horas

Filho é suspeito de matar mãe e família se diz “estraçalhada” após o crime

Às autoridades, o homem afirmou que a morte da mulher foi acidental, depois de empurrá-la durante uma discussão
Foto: Reprodução

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

O Natal de amigos e familiares de Márcia Lanzane foi marcado por tristeza e comoção. A mulher foi encontrada morta dentro da própria casa, em Guarujá, no litoral de São Paulo, nessa quinta-feira (24/12). O principal suspeito é o próprio filho de Márcia, de 23 anos. À Policia Militar, ele alegou que a morte foi acidental. As investigações estão em curso.

De acordo com relato de pessoas próximas, o jovem teria ligado para amigos desesperado, alegando que teria encontrado a mãe morta em casa, sem mostrar qualquer envolvimento com o incidente.

Somente após a polícia suspeitar e o questionar, ele confessou que teria acontecido uma discussão e, depois de empurrar a mãe, ela teria morrido acidentalmente, conforme informações do G1. Em seguida, o jovem alegou às autoridades que Marcia teria caído e batido a cabeça.

Em um post emocionado nas redes sociais, a irmã da vítima descreveu o momento difícil que a família está enfrentando. “Não me peçam para tentar entender porque você se foi tão nova, cheia de saúde, tão cheia de sonhos. Mesmo não estando tão próximas, tínhamos como saber uma da outra através de mensagens, telefonemas. E agora? Que dor horrível, justo hoje, no meu aniversário minha irmã. Por que?”, desabafou.

Em outra publicação, ela continuou: “Estamos estraçalhados, corrompidos por dentro. Um presente de aniversário, presente de Natal, que ninguém imagina ganhar”.

Amigos também registraram homenagens à Márcia. Comovidos, eles lamentaram a morte repentina da mulher. Entre dezenas de postagens, a vítima era descrita como maravilhosa, alegre e batalhadora.

Márcia já teve o corpo sepultado. O filho da vítima foi ouvido e liberado. Ainda não há definição de como ocorreu a morte e, por isso, um inquérito policial foi instaurado. As investigações prosseguem na Delegacia Sede de Guarujá, onde o caso foi registrado como morte suspeita, segundo a Polícia Civil. (Metrópoles)

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade