Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

Um homem foi indiciado pela Polícia Civil, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, pelo estupro contra a enteada, de 16 anos. A mãe da adolescente denunciou o companheiro em agosto. Segundo ela, o crime acontecia há 2 anos.

O homem, um lavrador de 53 anos, era padrasto da vítima. Segundo contou a vítima, ele dizia que era médium que o estupro era um ‘ritual’ para retirar um “espírito ruim” dela.

A enteada contou para a mãe o que estava acontecendo e ela denunciou o companheiro para a polícia. Ainda de acordo com a vítima, o homem a ameaçava de morte caso ela contasse para alguém o que ele fazia.

Segundo as investigações, o homem se aproveitava de conflitos vividos pela enteada para manipulá-la com o ‘ritual’. O crime era cometido em um quarto da fazenda onde a família vivia, que fica próxima à BR-365, O lavrador estuprava a vítima enquanto a mãe dela não estava.

Quando a jovem revelou para a mãe o que o padrasto vinha fazendo, ele fugiu.

Na época, a mãe da vítima prestou depoimento na Delegacia da Mulher e disse que, até então, não tinha conhecimento dos abusos sexuais que a filha sofria.

Segundo informou, na sexta-feira, 11, a delegada Lia Valechi, que coordenou as investigações, o inquérito contra o lavrador vai ser encaminhado à Justiça.

Após a denúncia, a Polícia Militar prendeu o padrasto da vítima, que negou o crime. Por não ter sido uma situação de flagrante, a Polícia Civil apenas instaurou um inquérito para investigar o caso. O suspeito “não foi ouvido formalmente, apenas assinou o termo de liberação”, disseram as autoridades. (Catraca Livre)