Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Laura Curi Vilarinho, de 19 anos, “engolida” por um buraco de aproximadamente dois metros de profundidade que se abriu na calçada de uma avenida em Uberlândia (MG), relembrou o momento nessa quarta-feira (16/12).

“Fiquei muito assustada, me lembro de pouca coisa. Acho até que fiquei um pouco inconsciente porque não lembro de todos os momentos. Caí de costas, mas tive o reflexo de virar um pouco de lado e assim fiquei até ser resgatada. Lembro que algumas pessoas me faziam perguntas, mas só respondia com um joinha”, disse a jovem.

No dia de acidente, a jovem não iria ao estágio em um escritório de advocacia, porque tinha um exame médico agendado para aquela manhã. Porém, no trajeto com a mãe, o chão se abriu e Laura Curi acabou caindo em um buraco. As informações são do G1.

Imagens de câmeras de segurança flagram o exato momento. Veja:

A mãe da jovem, Elisiane Isac Curi, relembrou o momento: “Na hora até pensei em pular para tentar tirar ela, mas depois percebi que não adiantaria. Só pedi para ela ficar quieta”.

A vítima ainda diz que teve medo das consequências da queda. “O susto maior foi quando eu tentei me mexer, mas não consegui porque sentia muita dor.”

Mãos dadas

Elisiane Isac Curi lembrou que tudo foi muito rápido e que, por pouco, ela também não caiu junto no buraco que engoliu a filha. “Acho que a gente até estava de mãos dadas. Temos esse costume. E o local onde eu estava não cedeu.”

As duas também contam que não havia nada que pudesse indicar alguma anormalidade com o piso da calçada. O chão estava totalmente uniforme, o que não despertou nelas o instinto de desviar o caminho.

O Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) afirmou que está prestando assistência à jovem. A informação foi confirmada pela vítima.

Após o acidente, Kleyton Silas, gerente de drenagem do Dmae, falou de algumas possíveis causas para o caso. Ele comentou que há uma galeria de água e esgoto próximo ao local, que pode ter sofrido uma rachadura. Ele também informou que uma árvore foi retirada há pouco tempo do local, e que as raízes dela podem ter comprometido as fundações da calçada.

Os dutos de drenagem pluvial foram reparados e o buraco foi coberto.

Lesões

O Corpo de Bombeiros resgatou a jovem e, em seguida, ela foi encaminhada para a Unidade de Atendimento Integrado (UAI) do Bairro Planalto. No local, tirou radiografia, que não diagnosticou nenhuma fratura, e foi liberada após ser medicada.

A jovem relatou ainda: “Quando cheguei em casa e fui tomar banho, porque estava cheia de barro, acho que pelo corpo esfriar, as dores ficaram mais intensas”.

Então, ela resolveu ir a um hospital particular para fazer mais exames. O diagnóstico foi o rompimento de um ligamento no cotovelo esquerdo. Parte do tratamento será usar uma tipoia por duas semanas. Depois, ela fará sessões de fisioterapia.

Metrópoles