Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

Um jovem de 19 anos foi atropelado propositalmente após uma discussão ocorrida em uma rua de Planaltina. O crime ocorreu na última segunda-feira (28/12) e foi registrado por moradores. O motorista fugiu do local, mas acabou sendo localizado e preso em flagrante pela Polícia Militar. Ele foi conduzido à 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina) e autuado por lesão corporal grave e omissão de socorro.

João Vitor Alves de Souza, 19 anos, foi até uma quadra da região administrativa para fazer um orçamento de móveis planejados. Ele parou a bicicleta em frente a uma residência, e um homem, ao sair com o carro, acertou a bike. De acordo com testemunhas, o jovem chamou a atenção do motorista, identificado como Raysson Luan da Mota Fernandes, que não gostou de ser questionado.

Quando o condutor disse que não pagaria pelo prejuízo, João o contestou, permanecendo em frente ao carro, dizendo que o motorista não teria a coragem de o atropelar. Fernandes, porém, acelerou e atingiu o rapaz. O autor fugiu, mas foi capturado por policiais militares.

Policiais que atenderam a ocorrência detalharam que o motorista confessou que discutiu por causa de uma bicicleta que ele atropelou. “Como disse que não iria pagar, a vítima entrou na frente do carro. Neste momento, o autor resolveu atropelá-lo, pois a vítima desacreditou que ele teria coragem. O autor disse categoricamente que a vítima ainda pediu para passar por cima, então ele resolveu passar por cima”, narrou um dos PMs. Foi realizado o teste do etilômetro, acusando resultado negativo.

Moradores contam que o jovem “saiu rolando”, bateu a cabeça no para-choque de outro veículo e desmaiou. O rapaz ficou inconsciente por alguns segundos e foi socorrido. “Ficou totalmente desnorteado, quando, alguns minutos depois, chegou o Samu e o levou para o hospital”, narrou uma testemunha. O rapaz foi encaminhado ao Hospital Regional de Planaltina e, posteriormente, transferido para a unidade de Sobradinho.

Nasceu de novo

Emilene Alves Fernandes, 44 anos, é dona de um salão e mãe de João Vitor. Em entrevista ao Metrópoles, contou que viu o vídeo que mostra o jovem sendo atropelado e ficou sem reação. “Quase matou o meu filho. Ele nasceu de novo. Não consigo descrever a sensação que tive ao vê-lo caído ao chão. Não podia conversar, estava imobilizado, desacordado. Poderia ter morrido. Quero que a Justiça seja feita”, desabafou.

A mãe contou que o jovem ainda sofre com dor de cabeça e precisa passar por exames. “Não conheço a pessoa que atropelou, mas ele podia ao menos ter parado e prestado socorro”, completou.

O outro lado

Na delegacia, o motorista afirmou que estava com a avó, namorada e cunhada, uma criança de 10 anos, fazendo compras, na Vila Buritis. Raysson Luan detalhou que, ao sair com o carro, passou por cima de uma bicicleta que estava deitada no chão.

De acordo com ele, o dono da bicicleta apareceu e começou a provocá-lo, querendo que ele pagasse a bicicleta. Segundo ele, várias pessoas começaram a sair da residência, deixando a sua avó assustada, que começou a gritar dentro do carro, o deixando em pânico.

Ambos começaram a discutir, quando a vítima entrou na frente do carro, dizendo que ele iria pagar de qualquer jeito e que não iria sair da frente do carro. “Como estava com criança no carro e a sua avó em desespero, resolveu arrancar o veículo, mas em momento algum tive a intenção de matar”, defendeu.

Raysson segue detido, passou por audiência de custódia e teve a prisão em flagrante convertida em preventiva.

Fonte: Metropoles