Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

Veio a tona nesta última quinta-feira (28) que a cantora MC Ellu acusou Fernando Luís Mattos da Matta, o DJ Marlboro, de estupro quando ainda era adolescente. Ela está alegando que foi levada ao motel pelo produtor sem o seu consentimento, obrigando-a a ter relações sexuais com ele com ameaça. “Eu era virgem […] Não denunciei antes porque ele falou que se eu falasse para alguém, poderia acontecer uma coisa ruim comigo”, declarou.

O o crime teria acontecido em 1988, quando ela tinha apenas 17 anos de idade e começava a carreira artística. Ela foi à polícia registrar um boletim de ocorrência contra o artista e contou mais detalhes do que teria ocorrido.

“Eu conheci o Marlboro em um baile que eu fui dublar Janet Jackson, eu tinha 17 anos. Após a minha apresentação, ele me ofereceu uma carona até a minha casa. No caminho, ao invés de ele me levar em casa, ele me levou para um motel”, começou dizendo em uma entrevista ao programa Balanço Geral SP, da Record.

Ellu ainda deu destaque que não teve como escapar da violência sexual. “A gente entrou no quarto, eu sentei na cama e ele falou assim: ‘Não vai acontecer nada que você não queira’. Resumindo, aconteceu o pior, ele foi às vias de fato. Eu era virgem, saí de lá chorando”, completou.

A cantora explicou o por quê demorou tantos anos para fazer a denúncia. “Ele prometeu que ia me ajudar, ia me botar na gravadora, ia produzir minhas músicas e ficou por isso mesmo. Eu não denunciei antes, porque ele falou que se eu falasse pra alguém, poderia acontecer uma coisa ruim comigo”, afirmou.

A funkeira disse que é perseguida por ele nos bastidores musicais: “No decorrer desses anos todos, eu fazendo programa de televisão, correndo atrás, estou sendo muito prejudicada no mercado, por culpa dele, porque ele faz o favor de me queimar, de me prejudicar. Ele tenta me prejudicar até hoje com medo de eu contar essa história”.

“Só que agora eu cansei. Eu quero justiça, eu quero ter a minha vida de volta, e conseguir trabalhar e mostrar o meu trabalho. Que esse destruidor de sonhos não destrua a vida de mais ninguém, porque foi o que ele fez comigo”, desabafou.

DJ Marlboro negou qualquer ato de violência sexual contra a artista. Ele afirmou que a cantora sempre quis que ele produzisse as músicas dela, mas ele nunca aceitou “por acreditar que ela não tinha talento”.

Catraca Livre