Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Luciano Huck tem planos de entrar para a presidência do Brasil, porém, uma declaração polêmica que teria sido feita por ele no passado acaba de voltar à tona na mídia.

De acordo com a revista Fórum, em 1994, ele foi questionado sobre qual era o público de sua casa noturna, o bar Cabral, no Bairro Jardins, na capital paulista, e deu uma resposta absurda.

“Uma coisa eu digo, baiano aqui não entra”, disparou, segundo o jornalista Mylton Severiano da Silva (Myltinho), na coluna Enfermaria, da extinta revista Caros Amigos, em um texto chamado “A Vingança do Baiano”.

Na época, ele trabalhava para a agência DPZ e escrevia o livro “São Paulo de bar em bar”. Foi aí que, ao visitar os diversos botecos paulistanos, registrou a declaração de Luciano Huck.

O apresentador, inclusive, tem usado suas redes sociais para falar sobre discussões políticas. No último domingo (21), por exemplo, ele voltou a alfinetar Jair Bolsonaro (sem partido).

O líder do Caldeirão do Huck, da Globo, disse que “negacionismo” e “populismo” afundam a confiança no Brasil, ao falar sobre o aumento no preço dos combustíveis e a mudança da gestão da Petrobras, promovida pelo presidente.

“O preço dos combustíveis não sobe agora por causa da gestão da Petrobras. Principal moeda do mercado não é dólar. É confiança”, disparou o global.

Luciano Huck ainda disparou: “E negacionismo, populismo e incertezas afundam a confiança no país. E quem paga esta conta? Os mais pobres com inflação, desemprego, queda na renda etc”.

A mensagem dele foi feita dois dias após, em rede social, Bolsonaro comunicar a indicação do general Joaquim Silva e Luna para substituir o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, confirmando assim os rumores de mercado.

Fonte: RD1