Foto: Reprodução

Em cidades diferentes, irmãos morrem de Covid-19 com 1h de diferença

Telma e Elton, ambos de Jundiaí (SP), foram internados em diferentes hospitais; ela tinha pressão alta, ele não apresentava comorbidades

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

O gerente administrativo Eric Marques, de 41 anos, perdeu os dois irmãos vítimas da Covid-19: a professora Telma Lissandra Barbosa, de 45 anos, e o marceneiro Elton Marques, de 33. Ambos moravam em Jundiaí (SP) e morreram com pouco mais de uma hora de diferença nessa segunda-feira (29/3), em hospitais de cidades diferentes.

“Minha família foi devastada e destruída por esse vírus. O que estamos passando, eu não desejo para ninguém”, desabafa Eric ao Uol.

Segundo o gerente, a primeira a apresentar sintomas da doença foi Telma, no início do mês. Logo em seguida, o irmão também começou a ter os sintomas do coronavírus. Os dois procuraram atendimento médico e começaram o tratamento em casa.

“Uma semana depois, eles pioraram e tiveram que ser internados. Inicialmente, ficaram na enfermaria, mas uns dois dias depois já precisaram ser intubados e levados para a UTI [Unidade de Terapia Intensiva]. Os dois foram intubados no mesmo dia”, lembra Eric.

Telma foi internada no Hospital São Vicente, em Jundiaí, enquanto o irmão seguiu para um hospital em Louveira. Eric explica que o motivo do irmão ter sido internado em outro local foi pela proximidade da residência onde ele morava.

Na manhã de segunda, por volta das 7h20, Telma não resistiu às complicações da doença e morreu. Pouco mais de uma hora depois, por volta das 8h40, a família recebeu a notícia de que Elton também não havia resistido.

A professora tinha pressão alta. Já o marceneiro não apresentava comorbidades.

“Eu recebi a ligação do hospital falando sobre a minha irmã e, na sequência, quando fui ligar para a minha cunhada para contar o que havia acontecido, ela havia acabado de receber a notícia da morte do meu irmão. Foi um momento de muita dor e muito delicado porque tive que dar a notícia para os meus pais”, lembra Eric.

Os pais dos irmãos também testaram positivo para a Covid-19. Eles ficaram internados em um hospital da cidade e se recuperaram em casa. Eric foi infectado em novembro, e também precisou ser internado na época.

“As pessoas precisam se conscientizar sobre a importância do isolamento social, seguir as medidas de higiene e se proteger ao máximo para a gente conseguir frear esse vírus. Se tivesse uma conscientização maior e os governos investissem em vacina e em cuidar das pessoas, hoje minha família estaria viva”, alertou Eric. (Metrópoles)