Reprodução

Mãe contou a médica que menino Henry tremia e vomitava ao ver Jairinho

A conversa foi recuperada do celular de Monique, pela Polícia Civil, e consta no inquérito que investiga a morte de Henry.

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Mais de uma semana após ficar sabendo que o companheiro, Jairinho, agredia Henry, Monique Medeiros procurou uma prima que é pediatra e revelou que, ao ver o padrasto, o garoto tremia e vomitava.

A conversa foi recuperada do celular de Monique, pela Polícia Civil, e consta no inquérito que investiga a morte de Henry.

Vídeo: Veja imagens da cela em que a mãe de Henry ficará presa
Caso Henry: Mãe fez selfie na delegacia ao depor sobre morte do filho; veja a foto
Veja a troca de mensagens entre mãe e babá sobre agressões a Henry

Obtido com exclusividade pelo jornal Extra, o diálogo virtual revelou que seis dias após a agressão sofrida por Henry, no dia 12 de fevereiro, e relatada em tempo real pela babá Thayná de Oliveira Ferreira, Monique procurou a prima para pedir orientações sobre o comportamento do filho.

Segundo a mãe do menino, ele tinha “medo excessivo de tudo” e vomitava e tremia quando via Jairinho. Relatou ainda que deu início ao tratamento psiquiátrico de Henry.

“Iniciei com a psicóloga. Fizemos duas sessões, uma por semana. Você acha que preciso procurar um neuro, psiquiatra, fazer mais sessões por semana? Tem sido muito sofrido para todos nós”, escreveu.

Identificada apenas como Renata, a prima da acusada respondeu: “Acho que agora no início poderia ser duas vezes por semana. Neuro e psiquiatra, não. Infelizmente, isso é comum”, explicou na conversa.

Veja o diálogo completo:

Monique: Prima, boa tarde

Monique: Henry está com medo excessivo de tudo, tem um medo intenso de perder os avós, está tendo um sofrimento significativo e prejuízos importantes nas relações sociais, influenciando no rendimento escolar e na dinâmica familiar. Disse até que queria que eu fosse pro céu pra morar com meus pais, em Bangu. Quando vê o Jairinho ele chega a vomitar e tremer. Diz que está com sono, que quer dormir e não olha pra ele. Nunca dormiu sozinho, mas antes ficava no quarto esperando irmos ao banheiro ou levar um lanche, agora se recusa a ficar sozinho, não tem apetite, está sempre prostrado, olhando pra baixo, noites inquietas com muitos pesadelos e acordando o tempo inteiro. Chora o dia todo. Iniciei com a psicóloga.

Monique: Fizemos duas sessões, uma por semana. Você acha que preciso procurar um neuro, psiquiatra, fazer mais sessões por semana? Tem sido muito sofrido para todos nós.

Renata Pediatra: Acho que agora no início poderia ser duas vezes por semana. Neuro e psiquiatra, não.

Monique: Tá bom prima

Renata Pediatra: “Infelizmente isso é comum.”

Monique: Obrigada

Metrópoles