Primeiro cocô de um bebê revela se ele terá alergias ou asma

Primeiro cocô de um bebê revela se ele terá alergias ou asma

Bebês podem ser propícios ao desenvolvimento de alergias e asma antes mesmo de nascerem
freepik

Compartilhe esta notícia

A análise das primeiras fezes de um bebê, conhecidas como mecônio, mostra que a falta de certos compostos bioquímicos e bactérias intestinais normalmente vistas nas fezes está associada a um risco maior de alergias e outras condições.

Condições alérgicas como alergias alimentares, febre do feno, asma e eczema são causadas pela reação exagerada do sistema imunológico a compostos inofensivos no meio ambiente. Muitos estudos encontraram ligações entre a reatividade do sistema imunológico e uma menor diversidade de bactérias intestinais. Uma ideia é que um ecossistema diversificado de bactérias benéficas ajuda a “treinar” o sistema imunológico em desenvolvimento para tolerar compostos não prejudiciais.

nova pesquisa, realizada por Charisse Petersen da University of British Columbia em Vancouver e seus colegas, analisou o mecônio de 100 bebês que fizeram parte de um estudo canadense abrangente e em andamento sobre o desenvolvimento infantil. O mecônio não é fezes normais, mas uma mistura de substâncias que entraram na boca do bebê no final da gravidez, como líquido amniótico, células da pele e substâncias produzidas pela pele do bebê.

Quimicamente, inclui uma variedade de moléculas de gordura, aminoácidos e outros compostos da dieta da mãe. “Mecônio é uma espécie de cápsula do tempo porque contém todas as moléculas às quais o bebê foi exposto”, disse Charisse Petersen à New Scientist.

A maioria das condições alérgicas se desenvolve mais tarde na infância. Portanto, para obter resultados quando os bebês tinham 1 ano de idade, a equipe fez um teste cutâneo que mede a reatividade do sistema imunológico.

O quarto do grupo com o mecônio quimicamente mais diverso tinha metade do risco de um sistema imunológico superreativo, em comparação com o quarto que tinha o mecônio menos variável. Havia uma ligação de tamanho semelhante entre as bactérias intestinais diversas no mecônio e posterior reatividade imunológica.

“O que está no mecônio se torna a fonte de alimento para todas as bactérias que quer nos colonizar”, disse Charisse. “Quanto mais diversificada for a fonte de alimento, maior será a probabilidade de você ser capaz de sustentar a colonização de todos esses micróbios benéficos.”

Pais e mães podem tentar reduzir o risco de seus filhos de doenças alérgicas por meio de medidas como evitar antibióticos desnecessários e tentar fazer seus filhos brincar mais fora de casa. Outro fator associado a um menor risco de alergias é ter um cachorro de estimação em casa, segundo Tom Marrs, do King’s College London.

Fonte: Socientifica

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade