Taxa de transmissão da Covid-19 volta a subir no Brasil, mostra estudo – Porto Alegre 24 horas

Taxa de transmissão da Covid-19 volta a subir no Brasil, mostra estudo

Números divulgados pelo Imperial College de Londres indicam que cada 100 pessoas que contraem a doença infectam outras 107 saudáveis
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Um estudo divulgado pela Faculdade de Medicina do Imperial College de Londres nesta terça-feira, 15, mostra que a taxa de transmissão da Covid-19 voltou a subir no Brasil, alcançando a marca de 1.07. Isso significa que cada 100 pessoas que contraem a doença no país infectam mais 107 pessoas.

Considerando a margem de erro, esse número pode subir para 1.28 (128 novas infecções a cada 100 infectados) ou descer para 1.02 (102 pessoas com a doença a cada 100 pessoas infectadas). O último relatório do Imperial College, divulgado em 8 de junho, tinha registrado uma queda nesse índice após duas semanas de estabilidade. Na ocasião, a taxa foi de 0.99, o que traduzia 99 novas infecções a cada 100 doentes no Brasil.

Além de registrar a taxa de infecção, a universidade europeia também projeta a quantidade de mortes que o país deve registrar ao longo da semana. A média prevista pelo estudo é de 14.300 novos óbitos, podendo variar entre 12.400 e 16.500. O Brasil ocupa a 13ª posição entre os países com piores números no estudo, atrás de nações como Argentina, Paraguai, Marrocos e África do Sul.

A República Dominicana tem a pior taxa de transmissão entre os 68 países estudados, com 1.46. Nos índices da universidade, a Suécia é o país com a menor taxa de transmissão da doença, com 0.37, seguido de Hungria, Suíça e Macedônia do Norte. Desde o início da pandemia, segundo dados do Ministério da Saúde, 17,5 milhões de casos foram registrados e 488 mil mortes foram causadas pela Covid-19. (Jovem Pan)

Mais noticias do Porto Alegre 24 horas

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade