Ao menos 68 unidades vinculadas à SMS (Secretaria Municipal da Saúde) estarão abertas em Porto Alegre, neste sábado (17), para o “Dia D” da multivacinação e imunização contra a poliomielite. A iniciativa é o ponto-alto de uma campanha iniciada no dia 5 e que prossegue até o fim do mês. Pais, mães ou responsáveis devem levar crianças de 1 a 5 anos para receber dose-extra das gotinhas ou atualizar a caderneta, inclusive para os adolescentes de 12 a 15 anos.

Segundo a prefeitura, o serviço – que é totalmente gratuito – estará disponível das 8h às 17h, sem pausa ao meio-dia. A meta na capital gaúcha é proteger 61.784 crianças de 1 a 5 anos contra a poliomielite, 95% do total estimado para o segmento na cidade, que é de 65.036 habitantes. Os endereços para aplicação das vacinas podem ser conferidos no site oficial www.portoalegre.rs.gov.br.

“Com a multivacinação, a ideia é garantir a proteção contra diversas doenças imunopreveníveis e melhorar as coberturas vacinais”, ressalta a SMS. “Por isso, é muito importante procurar uma unidade de saúde. Estão disponíveis doses do Calendário Nacional de Vacinação, de acordo com a idade e situação vacinal”.

No caso da poliomielite, existem três tipos de vírus (1, 2 e 3) causadores da doença, que pode ser transmitida diretamente de uma pessoa para outra. O contágio ocorre pela boca, com material contaminado por fezes (por meio de água ou alimentos infectados) e traz risco maior quando as condições sanitárias e de higiene são ruins.

A doença também pode ser transmitida pela forma oral, por meio de gotículas expelidas ao falar, tossir ou espirrar. O vírus se multiplica, inicialmente, nos locais por onde ele entra no organismo (boca, garganta e intestinos).

Em seguida, ingressa na corrente sanguínea e pode chegar até o sistema nervoso, dependendo da pessoa infectada. Desenvolvendo ou não sintomas, a pessoa elimina o vírus nas fezes, daí a importância de se manter sempre uma higiene adequada. A vacina é a única forma de prevenção

Crianças

Para a gurizada de 1 a 5 anos, as doses protegem contra hepatites A e B, poliomielite (1, 2, 3), rotavírus humano (quatro cepas), meningite, febre-amarela, sarampo, caxumba, rubéola, varicela, tétano, difteria, Tétano e papilomavírus humano, dentre outros. Já a BCG é aplicada nas maternidades e em unidades de saúde de referência.

Adolescentes

Já no que se refere aos adolescentes até 15 anos, a imunização abrange doenças como hepatite B, difteria, tétano, febre-amarela, sarampo, caxumba, rubéola, meningite e papilomavírus humano.

(Marcello Campos | O Sul)