Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

O Orbitador de Reconhecimento de Marte (MRO) da Nasa avistou um poço profundo, com aproximadamente 180 metros de diâmetro, durante sua expedição pelo planeta.

As imagens foram capturadas originalmente no dia 24 de janeiro pela câmera HiRise do equipamento e mostravam uma espécie de mancha negra.

Para uma melhor análise, os pesquisadores da Universidade do Arizona precisaram ajustar o brilho das fotos, quando foram pegos de surpresa. “O chão do poço parece ser de areia lisa e desce para o sudeste”, escreveu o geofísico da Nasa Ross Beyer.

Após a descoberta do poço, os pesquisadores vão analisar se ele pode estar conectado a outros túneis que teriam sido deixados para trás por canais de lava de fluxo rápido. Essas redes de túneis existem na Terra, em locais como o Parque Nacional dos Vulcões, no Havaí.

“A esperança era determinar se este era um poço isolado ou se era uma clarabóia em um túnel, muito parecido com claraboias nos tubos de lava do Havaí”, disse Beyer.

A hipótese de que vulcões antigos podem ter deixado grandes tubos de lava cavernosos na superfície de Marte já é antiga. Alguns cientistas, inclusive, defendem que elas podem ter tamanho suficiente para abrigar bases planetárias em uma possível colonização humana do Planeta Vermelho.

Olhar Digital