Vídeo: “Orientação sexual não define caráter”, diz Fabiano Contarato ao denunciar homofobia de Otávio Fakhouri na CPI; assista – Porto Alegre 24 horas

Vídeo: “Orientação sexual não define caráter”, diz Fabiano Contarato ao denunciar homofobia de Otávio Fakhouri na CPI; assista

Na abertura dos trabalhos da Comissão, o senador mostrou tuítes homofóbicos do depoente e afirmou que o mesmo será denunciado pelo crime de homofobia
Foto: reprodução

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Da Revista Fórum

A abertura dos trabalhos da sessão da CPI da Covid desta quinta-feira (30) foi diferente e emocionante. O presidente da Comissão passou a presidência ao senador Fabiano Contarato (Rede-ES) que denunciou o depoente, o empresário Otávio Fakhouri pelo crime de homofobia e revelou tuíte do mesmo onde fez um ataque homofóbico contra Contarato.

“Muitas pessoas me perguntam, quando eu tomei posse como senador da República, se os meus colegas me respeitavam e eu nunca titubeei e sempre falei: todos me respeitam, tem carinho e admiração e deferência por mim e como deve ter por qualquer pessoa”, iniciou o senador.

Em seguida, o senador Fabiano Contarato se dirigiu diretamente ao depoente. “Mas eu queria falar para o depoente, eu não queria perder essa oportunidade: Senhor Otávio, dinheiro não compra dignidade, dinheiro não compra caráter, cursos não compram dignidade, compaixão… eu sempre pergunto: qual tipo de imagem eu vou deixar para os meus filhos? Qual tipo de pai eu vou deixar para os meus filhos? Que tipo de imagem, o senhor é pai, é casado, quer deixar para os seus filhos. O senhor vem aqui e diz que se pauta pelos princípios da legalidade, da moralidade, aliás isso é uma premissa do artigo 37″, disse Contaratao.

Posteriormente, o senador exibiu no telão da Comissão um tuíte de Fakhouri onde faz um comentário homofóbico sobre o senador Fabiano Contarato. “O senhor tuitou o seguinte: recebi com naturalidade e tranquilidade a convocação para depor na CPI da Covid na próxima quinta-feira. Reafirmarei aos senadores o que amigos e ex-colegas de mercado financeiro já sabem: a minha luta sempre foi e continuará sendo pautada pela transparência, legalidade e moralidade”, revelou.

“Aí o senhor pegou um tuite meu que, por um erro de grafia da rede social, o senhor fala isso… aí é o que mais admira, o senhor não é mais adolescente, o senhor é casado, tem filhos, a sua família não é melhor do que a minha, e o senhor diz o seguinte: o delegado, homossexual assumido, talvez estivesse pensando no perfume de alguma pessoa daquele plenário. Quem seria o perfumado que lhe cativou?”, perguntou.

“O que leva um ser humano que tem maioridade… o que leva o senhor… o senhor tem filhos, qual imagem enquanto pai, enquanto esposo, enquanto cidadão o senhor vai passar para os seus filhos? Isso é o seu princípio da legalidade? porque o Supremo Tribunal Federal tardiamente, o mesmo supremo que o senhor defende pra extinguir, criminalizou a homofobia (2019) equiparando ao crime de racismo, aliás um dos poucos crimes que são considerados inafiançáveis e imprescritíveis”, avisou o senador.

Indignado, o senador Contarato questionou por qual tipo de moralidade o depoente se pauta. “Qual é o conceito de moralidade do senhor? Qual é o conceito de legalidade. O senhor pode ter todo o dinheiro do mundo, eu tenho a minha vida modesta e com muito orgulho, cuidando da minha família, orgulho com o meu esposo e com os meus 2 filhos: Gabriel de 7 anos e Ana que fez 2… eu quero que eles tenham certeza de que eu lutei e de que vou continuar lutando para reduzir essa desigualdade que há no Brasil”, questionou.

“A orientação sexual não define o caráter, que a cor da pele não define caráter, que o poder aquisitivo não define caráter. O Senhor faz isso comigo que sou senador da República imagina no Brasil que mais mata a população LGBTQIA+. O mínimo que o senhor deveria fazer é pedir desculpas e não só a mim, mas a toda população LGBTQIA+”, disse o senador.

Por fim, Fabiano Contarato parafraseou Martin Luther King. “Assim como Martin Luther King teve um sonho, eu também tive um sonho: eu sonho o dia em que eu não vou ser julgado pela minha orientação sexual. Eu sonho com um dia em que os meus filhos não serão julgados por serem negros, eu sonho um dia em que ninguém será julgado por ser mulher. Esse dia ainda não chegou. O senhor é a típica pessoa que representa o presidente da república, que fala da família tradicional, mas a minha família não é pior do que a sua. A mesma certidão de casamento que o senhor tem, eu também tenho”, finalizou o senador.

A CPI encaminhou ao Ministério Público Federal pedido para que investigue se o Otávio Fakhuro cometeu o crime de homofobia.

Assista:

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade