Uma pesquisa revelou hábitos culturais dos moradores de Porto Alegre

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp





Uma pesquisa, divulgada nesta terça-feira, indica que Porto Alegre tem acesso cultural acima da média entre as 12 maiores metrópoles brasileiras. De acordo com os dados do estudo “Cultura nas Capitais”, a capital gaúcha tem os melhores índices de ida ao cinema (70%) e a saraus (21%) entre as cidades que integraram o estudo.

Depois da ida ao cinema, a atividade cultural mais praticada pelos porto-alegrenses é a leitura (69%). Shows (52%) e feiras de artesanato (48%) também são algumas das opções mais acessadas na cidade, que se destaca nas festas regionais: a Semana Farroupilha atrai 25% dos moradores e, entre as festas populares, só perde para as festas juninas, que possuem índice de frequência de 55%.




Entre os espaços culturais mais conhecidos e frequentados, a Usina do Gasômetro é a líder do estudo (88% já estiveram no local). Conforme os números, a Casa de Cultura Mario Quintana e o Auditório Araújo Vianna também se destacam: a primeira recebeu 71% da população da cidade, sendo que 94% já ouviu falar do espaço, localizado na Rua dos Andradas; o segundo, na Redenção, foi visitado por 66% dos moradores, enquanto 91% sabe de sua existência.

A pesquisa ainda destaca que 39% dos moradores de Porto Alegre foram a pelo menos seis atividades culturais no período de um ano antes do levantamento. Além disso, o percentual de quem foi a 10 atividades culturais supera a média das demais cidades que fizeram parte do estudo – Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís e São Paulo.



“Cultura nas Capitais” foi desenvolvida pela JLeiva Cultura&Esporte, responsável pela análise de dados, e pelo Datafolha, a cargo do levantamento de campo e processamento das informações. Foram entrevistados 621 moradores de Porto Alegre, entre os dias 14 de junho e 27 de julho de 2017. As perguntas abordavam as práticas culturais de cada pessoa nos 12 meses anteriores.

Em todo o país, 10.630 pessoas, com idade a partir de 12 anos, foram ouvidas. A proposta principal da pesquisa é entender como algumas variáveis demográficas, sociais, econômicas e comportamentais influenciam na vida cultural da população, determinando aproximação ou afastamento de teatros, do cinema, de shows e outras atividades culturais. (Correio do Povo)