Foto: Reprodução

Assédio: A Globo foi mais dura com Mayer do que com Melhem?

Cinco dias após a divulgação detalhada de denúncias de assédio sexual e moral contra Marcius Melhem, a Globo se manifesta no ‘ Jornal Nacional’

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Muito criticada por não se pronunciar no caso do humorista Marcius Melhem, acusado do assédio sexual e moral, a Globo resolveu falar. Ou melhor, resolveu falar que ‘não iria falar’.

Cinco dias após a reportagem da revista ‘Piauí’ que detalha as denúncias de assédio contra o ex-diretor de humor do canal, a Globo se manifestou nesta terça-feira (8), no ‘Jornal Nacional’ e disse seguir um ‘padrão’ nesse tipo de acusação interna.

O problema é que o padrão parece ter mudado, pois, com José Mayer, três anos atrás, a conduta, o julgamento, a pressão foram diferentes das adotadas com Melhem.

Para quem não se lembra, Mayer foi acusado de assédio sexual por uma figurinista da Globo, em 2017. Na ocasião, Mayer foi afastado das produções do canal, e teve de pedir desculpas publicamente . Ficou na geladeira da Globo por dois anos, impedido de ser escalado por autores e diretores e acabou dispensado em 2019, após 35 anos de casa. Na carta, Mayer assumia que errou e pedia desculpas publicamente.

Desculpas

A Globo, por sua vez, não só incentivou o ator a escrever a carta pública com o pedido de desculpas, como se solidarizou publicamente com a vítima.

A emissora, na época, enfatizou que repudia toda e qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito e reafirmou isso para um grupo de atrizes, diretoras e produtoras, que lançaram na época um movimento com camisetas “mexeu com uma, mexeu com todas”. A própria emissora incentivou executivos a usarem a tal camiseta.

Problema de saúde

No caso de Melhem, acusado por Dani Calabresa e outras pessoas de assédio moral e sexual, a ‘conduta’ foi diferente. Melhem se afastou da programação da emissora em março, onde dirigia o núcleo de humor, com a rede alegando que ele precisava cuidar de um ‘problema de saúde’ de uma filha.

A Globo, na ocasião, não disse que ‘afastou’ o diretor acusado de assédio, como fez com Mayer. Alegou que ele pediu afastamento por quatro meses por questões pessoais.

Em agosto, Melhem foi ‘desligado’ da Globo, sob a alegação de que a rede estava tomando uma série de iniciativas para se preparar para os desafios do futuro e, com isso, adotando novas dinâmicas de parceria com atores e criadores em suas múltiplas plataformas. Não, nada de ‘assédio’ ou acusações na saída de Melhem.

Jornal Nacional

Três meses depois, após Calabresa e outras pessoas escancararem as denúncias contra Melhem em uma revista, a Globo resolveu falar. Disse que não pode comentar publicamente nenhuma investigação desse tipo por ter assumido com todos os seus colaboradores um compromisso de sigilo do processo, que resguarda a investigação dos fatos, denunciantes, denunciados e testemunhas.

Melhem, por sua vez, já se defendeu publicamente negando todas as acusações e prometendo processar Dani Calabresa. (R7)