Foto: Divulgação | Netflix

Crime de Elize Matsunaga é tema de série documental da Netflix; assista ao trailer

Viúva de Marcos Matsunaga fala pela primeira vez após ser presa por matar e esquartejar o marido

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A Netflix divulgou nesta terça-feira, 15, o primeiro trailer da série documental sobre Elize Matsunaga, que foi presa após assassinar e esquartejar o marido, Marcos Matsunaga. O crime aconteceu em maio de 2012 e ficou conhecido como “Caso Yoki” porque Marcos era presidente da empresa de alimentos no Brasil. Após esquartejar o então marido, Elize colocou as partes do corpo dele em três malas de viagem e as abandonou em Cotia, no interior de São Paulo.

Nove anos após o ocorrido, ela quebrou o silêncio na série “Elize Matsunaga: Era Uma Vez um Crime”, na qual chegou a declarar: “Ainda não sei dizer que tipo de emoção fez eu apertar aquele gatilho”. Além dos depoimentos da própria autora do crime, a produção também conta com falas de familiares, colegas do então casal e especialistas que acompanharam as investigações, como peritos criminais, jornalistas e advogados de defesa e de acusação.

O documentário será lançado no dia 8 de julho e contará com oito episódios de 50 minutos, no qual serão explorados o passado de Elize, desde a sua infância no Paraná até o conturbado relacionamento que ela teve com o empresário. Além disso, a série também vai mostrar em detalhes como o crime aconteceu, a tentativa de acobertamento e a prisão após o julgamento – que aconteceu em 2016 e terminou com a determinação de uma pena de 19 anos e 11 meses de prisão. Nos últimos anos, ela teve saídas temporárias da cadeia e isso também será mostrado na série.

Eliza Capai, que assina a direção da série documental, explicou por que quis trabalhar nesse documentário: “Senti uma responsabilidade moral muito grande em dirigir essa série. Não só pela família do Marcos e pelos amigos que sofreram com essa tragédia, mas também pela família da Elize, pessoas que não sabiam de nada daquilo, mas que também sofrem as consequências até hoje”. (Jovem Pan)