Foto: EFE | EPA

Vacina da AstraZeneca tem proteção de 93,6% contra mortes por Covid-19

Estudo feito com moradores de São Paulo com idade superior a 60 anos mostrou alta proteção após duas doses do imunizante; pesquisa também apontou resultado positivo da CoronaVac

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Um novo estudo feito com moradores vacinados de São Paulo com idade superior a 60 anos mostra uma alta proteção da AstraZeneca contra a Covid-19 depois das duas doses. O levantamento foi feito por pesquisadores do Brasil e de fora do país, entre os dias 17 de janeiro e 2 de julho. Nesta época estava em alta a circulação da variante Gama, registrada inicialmente em Manaus.

A taxa de efetividade 14 dias após a imunização completa é de redução de 77,9% dos casos sintomáticos, 87,6% das hospitalizações e queda de 93,6% no número de mortes. Os números são muito mais expressivos quando se compara ao grupo que recebeu apenas a primeira dose. Sem a imunização completa, os casos sintomáticos caíram 33,4%; houve redução de 55,1%, no número de hospitalizações e de 61,8% nos casos de morte. Segundo o médico infectologista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Julio Croda, o estudo ressalta a importância de fechar o esquema vacinal. “Esse tipo de estudo é o que chamamos de teste negativo, é recomendado pela OMS para avaliar a efetividade da vacina em grupos especiais, em um contexto de novas variantes e no futuro para avaliar se há uma queda na efetividade na queda da vacinação”, esclareceu.

O mesmo grupo também apresentou novos dados sobre a CoronaVac, do Instituto Butantan, diante da alta prevalência da variante de Manaus. O estudo, que levou em conta pessoas acima de 70 anos, em São Paulo, mostra que, depois de 14 dias das duas doses, os casos sintomáticos caem 41,6%, as hospitalizações foram reduzidas em 59% e caiu 71,4% o número de mortos. Entre a população de 70 a 74 anos, os resultados são ainda mais positivos. Casos sintomáticos foram 61,8% menores; houve 80,1% menos hospitalizações e os óbitos diminuíram 86%. Segundo Julio Croda, os dados reafirmam: as vacinas são seguras e protegem a população.

“O que a gente pode dizer desses dois estudos que avaliaram a efetividades dessas duas vacinas no contexto da variante Gama é que os imunizantes são extremamente efetivos para qualquer tipo de variante. É importante que a população complete o seu esquema vacinal com duas doses”, afirmou. Nesta quinta-feira, 22, São Paulo registrou pela primeira vez no ano uma ocupação inferior a 60% dos leitos de UTI, com média de 59,2%. Esta taxa chegou a ultrapassar os 90% durante a segunda onda da pandemia, em março e abril. (Jovem Pan)