Juiz do caso da Boate Kiss se refere a advogado como “ah, aquela toupeira”; veja o vídeo

Juiz do caso da Boate Kiss se refere a advogado como “ah, aquela toupeira”; veja o vídeo

Áudio vazou após o desembargador ser avisado por colegas sobre o nome do assistente da acusação. Veja o vídeo
Foto: Reprodução

Compartilhe esta notícia

Durante sessão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) nesta quarta-feira (3), que anulou, por dois votos a um, o julgamento que condenou os réus do caso da Boate Kiss, o desembargador Manuel José Martinez se referiu ao advogado assistente de acusação, Pedro Barcelos, em áudio vazado, como “ah, aquela toupeira”.

O desembargador se esqueceu do sobrenome do advogado e perguntou aos colegas. Após alguém responder, ele fez o comentário, que vazou no microfone inadvertidamente.

O julgamento

Manuel José Martinez Lucas, que foi contrário à anulação da sentença, presidiu a sessão. Já os desembargadores José Conrado Kurtz de Sousa e Jayme Waingartner Neto, também presentes, reconheceram nulidades no processo e, portanto, votaram pela anulação do júri. Ainda cabe recurso por parte das vítimas.

Elissandro Sphor, dono da boate e conhecido como Kiko; Mauro Hoffmann, sócio de Elissandro; Marcelo de Jesus, vocalista que se apresentava naquela noite; e Luciano Bonilha Leão, assistente da banda, tinham sido condenados por homicídio em 10 de dezembro do ano passado, após o processo se desenrolar por 9 anos. Na ocasião foram considerados responsáveis pelo incêndio ocorrido na Boate Kiss em janeiro de 2013, na cidade de Santa Maria, RS, que deixou 242 vítimas fatais e cerca de 600 feridos. (Revista Fórum)

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade