Trensurb quer passar valor da passagem para R$ 2,50

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp





Do Sul 21 | A Trensurb solicitou ao Ministério das Cidades uma avaliação da possibilidade de aumentar em 47% o valor da passagem unitária do metrô operado pela empresa na Região Metropolitana de Porto Alegre. Na justificativa do pedido, a empresa afirma que o valor atual da tarifa, R$ 1,70, está congelado desde o dia 5 de janeiro de 2008. A Trensurb sugere um reajuste da passagem para R$ 2,50, o que representaria um amento de 47%, observando que a inflação acumulada no período, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), é de 78,8%.

A direção da Trensurb assinala ainda que a empresa trabalha com uma tarifa social, o que faz com que a arrecadação com as passagens seja bastante inferior aos custos demandados. “Ainda que a realização de projetos comerciais busque diminuir essa diferença, há necessidade de uma significativa subvenção do governo federal para manter a empresa funcionando”, assinala.




Em 2016, exemplifica, a taxa de cobertura operacional da Trensurb – relação entre as receitas totais e as despesas de funcionamento – foi de 44,35%. Isso significa que 55,65% do custeio da empresa se deu por meio de recursos provenientes de subsídios concedidos pelo Tesouro Nacional.

A direção da empresa pretende, por meio do aumento da passagem; da redução de gastos, com projetos como a modernização da bilhetagem eletrônica; e do aumento da receita comercial, elevar a taxa de cobertura operacional para 65%, reduzindo assim a necessidade de subsídios do governo federal.

A solicitação da Trensurb ainda está sendo avaliada pelo Ministério das Cidades, sem uma data definida para a implantação do reajuste no valor da tarifa. A empresa argumenta ainda que, mesmo com um reajuste de 47%, a tarifa seguiria sendo a mais baixa entre os meios de transporte da Região Metropolitana de Porto Alegre e a alternativa mais barata para se transitar entre os seis municípios atendidos pelo trem: Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia, São Leopoldo e Novo Hamburgo.

Com 22 estações, o sistema possui hoje uma extensão total de 43,8 km, entre a Estação Mercado, em Porto Alegre, e a Estação Novo Hamburgo, no município de Novo Hamburgo.