Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

As parcelas do auxílio emergencial, no valor de R$ 150, R$250 e R$375 já estão sendo depositadas em conta poupança digital social da Caixa. Nesta semana, já foram efetuados dois depósitos e, até o fim de abril, serão realizados mais 10 pagamentos. O calendário de saque e transferência começará em maio.

Os dois calendários do auxílio emergencial 2021, assim como aconteceu no ano passado, são feitos de acordo com o mês de aniversário do beneficiário. A lógica é: depósitos primeiro e saques depois. Enquanto o valor do auxílio emergencial não é liberado para saque, a quantia está na conta poupança social da Caixa. O recurso poderá ser usado em compras por cartão de débito virtual ou pagamento de boletos.

No entanto, empresas de tecnologia financeira, as conhecidas fintechs, estão oferecendo a possibilidade de ter o dinheiro em mãos antes do calendário de saques. Isso mesmo. Você poderá sacar o dinheiro do auxílio emergencial antes do calendário. Algumas das empresas mais conhecidas do setor são: PicPay, Nubank, Mercado Pago, C6 Bank, entre outras.

O beneficiário do auxílio emergencial que tem contas nessas empresas poderá transferir o valor do auxílio sem limitação de saque. A justificativa do governo para dois calendários é evitar aglomeração em agências.

Como acontece?

Na prática, o pagamento do boleto pode transferir o valor a uma conta em uma fintech. Na conta da fintech, o beneficiário pode fazer transferência para outra conta ou mesmo sacar o dinheiro.

Vale destacar que o procedimento não é ilegal. O Banco Central autoriza fintechs a utilizarem boletos como forma de depósito em contas, por isso a prática não é irregular.

Veja um exemplo do procedimento por meio do Nubank:

Primeiro, acesse a NuConta pelo aplicativo

  • Na tela inicial, selecione a função ‘cobrança’
  • após isso, Informe o valor que deseja aplicar ao boleto
  • Clique em copiar o código de barras
  • No aplicativo do Caixa Tem, selecione a função ‘pagamentos’
  • Cole o número sequencial do código de barras
  • Confirme para onde o valor será endereçado (nome do titular da NuConta)
  • Aprove a efetivação do pagamento e salve seu comprovante.

Vale destacar que o prazo para você acessar o dinheiro é de até 48 horas para a Caixa Econômica Federal poder realizar a portabilidade do pagamento.

Como você gerou o boleto por uma NuConta, a quantia será transferida para o seu titular e pode ser sacada em qualquer caixa 24h ou transferida para qualquer conta bancária.

3 maneiras de retirar o dinheiro do Caixa Tem antes da data

O aplicativo está disponível para download nas lojas Android e iOS. Após instalação, basta o usuário fazer o login para começar o processo de transferência do dinheiro creditado.

Veja 3 dicas de como acessar o dinheiro antes da data de saque:

1 – Depósito em uma conta digital por meio do boleto

O trabalhador poderá usar o saldo da poupança social fazendo um boleto de depósito. Para isso, basta o usuário gerar o documento por meio de um banco digital (PicPay, Nubank, Mercado Pago, Banco Inter, Recarga Pay) do qual o ele é correntista. Em seguida, o trabalhador deve pagar o boleto utilizando o aplicativo Caixa Tem. O processo de transferência e depósito do dinheiro é feito em até dois dias uteis.

O valor máximo de pagamentos é R$600.

2 – Transferência pelo cartão de débito virtual

Outra possibilidade é sacar o dinheiro antecipadamente pelo aplicativo Guiabolso. Nele, o trabalhador pode criar uma conta e adicionar os dados do cartão de débito virtual criado no Caixa Tem para começar as transferências gratuitas e a qualquer hora do dia.

Essa funcionalidade está disponível no Banco do Brasil, Caixa (cartão virtual), Bradesco, C6 Bank, Santander, Sicredi e Banco Inter.

3 – Compras utilizando o cartão de débito virtual

Outra maneira de movimentar o saldo da poupança digital é utilizar o cartão de débito virtual do aplicativo Caixa Tem.

O trabalhador poderá realizar compras com o aplicativo. Para isso, o pagamento poderá ser feito por meio de um QR Code gerado nas maquininhas de cartão de estabelecimentos comerciais. Essa opção também é liberada para compras por meio da internet.

Caixa diz que maioria deve consumir o valor antes da data de saque

A grande maioria dos brasileiros que irão receber o Auxílio Emergencial vão consumir o seus recursos antes mesma da data do saque, informou a Caixa Econômica Federal neste momento. A declaração é do Presidente do banco, Pedro Guimarães.

Segundo o presidente, os brasileiros estão cada vez mais próximos da internet. Dessa forma, ele acredita que boa parte das pessoas irão usar o benefício mesmo pelos meios virtuais.

“As pessoas estão utilizando muito bem o Caixa Tem. Mais da metade das pessoas (entre as que recebem o Auxílio Emergencial) já consome o benefício antes de fazer o saque nas lotéricas e nas agências. Isso é muito importante porque essas contas são de graça e vão ficar depois do auxílio”, disse Guimarães.

Auxílio emergencial 2021

O auxílio emergencial é um benefício financeiro concedido pelo Governo Federal destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do novo coronavírus. O valor é pago desde o ano passado, foi interrompido por 3 meses em 2021, mas voltou a ser pago em abril deste ano.

Como acontece a administração dos pagamentos

A CAIXA é o agente pagador do programa. O banco não participa nem interfere no processo de avaliação dos critérios de seleção. O Ministério da Cidadania é o órgão gestor, que coordena a identificação e o pagamento das famílias elegíveis ao Auxílio Emergencial 2021.

A Dataprev, por sua vez, faz o cruzamento de dados e informa à CAIXA as pessoas aprovadas de acordo com as regras do Auxílio Emergencial 2021.

• Dataprev: Avalia se o cidadão cumpre todos os requisitos e informa o valor a ser pago.

• Ministério da Cidadania: Coordena a operação e disponibiliza para a CAIXA a relação de pessoas beneficiadas e valores a serem pagos.

• CAIXA: Realiza o crédito nas contas digitais dos beneficiários aprovados pelo Governo Federal.

Quem pode receber em 2021?

Pelas novas regras do auxílio emergencial em 2021, o auxílio emergencial será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo.

Em 2021 não foram abertas novas inscrições. O Governo Federal reavaliou todos os beneficiários aprovados para o Auxílio Emergencial, verificando se estão aptos a receber o benefício em 2021, de acordo com as novas regras.

Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso. A pessoa receberá o benefício com maior valor, seja a parcela paga no âmbito do programa, seja o valor do Auxílio Emergencial. É importante esclarecer que quem está no Bolsa Família para receber o Auxílio Emergencial 2021 deve cumprir todas as regras definidas.

Quanto será pago?

O valor médio do benefício será de R$ 250, variando de R$ 150 a R$ 375, a depender do perfil do beneficiário e da composição de cada família.

  • As famílias, em geral, vão receber R$ 250;
  • A família monoparental, chefiada por uma mulher, vai receber R$ 375;
  • Pessoas que moram sozinhas vão receber R$ 150.

Quantas parcelas?

A nova rodada do Auxílio Emergencial será paga em até quatro parcelas, em ciclos de pagamentos, conforme calendário divulgado.

Como acontece os pagamentos?

Por meio da conta poupança digital da CAIXA, que pode ser movimentada pelo aplicativo CAIXA Tem.

Para o público do Bolsa Família, além de movimentar o benefício pelo aplicativo CAIXA Tem, também será possível sacar os recursos com o Cartão Bolsa Família ou Cartão Cidadão, nos caixas eletrônicos e casas lotéricas.

Como sei a lista de aprovados?

A Dataprev realiza o cruzamento dos dados das pessoas cadastradas no grupo de beneficiários com os critérios do novo programa. O cidadão pode verificar o resultado do processamento por meio do site da CAIXA ou telefone 111.

Quem não pode receber?

Quem se enquadrar em pelo menos um dos critérios abaixo, definidos pelo Governo Federal, não terá direito ao Auxílio Emergencial em 2021:
• Tem emprego formal no momento;
• Recebe benefício do INSS, seguro-desemprego e outros benefícios, exceto abono do PIS/Pasep ou Bolsa Família;
• Tem renda familiar mensal per capita acima de meio salário mínimo (R$ 550, neste ano).
• É membro de família com renda mensal total acima de três salários mínimos (R$ 3.300, neste ano);
• Recebeu, em 2019, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
• Tinha, em 31 de dezembro de 2019, posse ou propriedade de bens ou direitos com valor total superior a R$ 300 mil;
• Recebeu, em 2019, rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, acima de R$ 40 mil;
• Era dependente de quem declarou Imposto de Renda em 2019;
• Está preso em regime fechado ou tem o CPF vinculado como gerador de auxílio-reclusão;
• Teve o Auxílio Emergencial de 2020 cancelado;
• Deixou de movimentar valores disponibilizados pelo Bolsa Família ou do Auxílio Emergencial;
• É estagiário, residente médico ou residente multiprofissional, beneficiário de bolsa de estudo;
• Mora fora do Brasil.

Quantas pessoas da mesma família poderão receber o Auxílio Emergencial 2021?

Conforme definido pelo Governo Federal, o Auxílio Emergencial 2021 prevê o pagamento para um beneficiário por família, de maneira que se mais de uma pessoa na família atender aos critérios, será observada a seguinte regra de desempate para definir quem terá direito ao recebimento do benefício:
1. mulher provedora de família monoparental (chefe de família);
2. integrante da família com data de nascimento mais antiga e, para fins de desempate, do sexo feminino; e
3. pela ordem alfabética do nome, se necessário, para fins de desempate.

Quem recebeu em 2020 precisará solicitar o Auxílio Emergencial em 2021?

Não. O Auxílio Emergencial será concedido de forma automática a quem recebia o benefício em dezembro de 2020 e se enquadra nos critérios definidos pelo Governo Federal.

Calendário de depósito do auxílio emergencial 2021

Nascidos em Depósito
Parcela 1 Parcela 2  Parcela 3  Parcela 4
Janeiro 6 de abril 16 de maio 20 de junho 23 de julho
Fevereiro 9 de abril 19 de maio 23 de junho 25 de julho
Março 11 de abril 23 de maio 25 de junho 28 de julho
Abril 13 de abril 26 de maio 27 de junho 1º de agosto
Maio 15 de abril 28 de maio 30 de junho 3 de agosto
Junho 18 de abril 30 de maio 4 de julho 5 de agosto
Julho 20 de abril 2 de junho 6 de julho 8 de agosto
Agosto 22 de abril 6 de junho 9 de julho 11 de agosto
Setembro 25 de abril 9 de junho 11 de julho 15 de agosto
Outubro 27 de abril 11 de junho 14 de julho 18 de agosto
Novembro 27 de abril 11 de junho 14 de julho 20 de agosto
Dezembro 30 de abril 16 de junho 21 de julho 22 de agosto

Calendário de saque e transferências do auxílio emergencial 2021

Nascidos em Saques ou transferências
Parcela 1 Parcela 2 Parcela 3 Parcela 4
Janeiro 4 de maio 8 de junho 13 de julho 13 de agosto
Fevereiro 6 de maio 10 de junho 15 de julho 17 de agosto
Março 10 de maio 15 de junho 16 de julho 19 de agosto
Abril 12 de maio 17 de junho 20 de julho 23 de agosto
Maio 14 de maio 18 de junho 22 de julho 25 de agosto
Junho 18 de maio 22 de junho 27 de julho 27 de agosto
Julho 20 de maio 24 de junho 29 de julho 30 de agosto
Agosto 21 de maio 29 de junho 30 de julho 1º de setembro
Setembro 25 de maio 1º de julho 4 de agosto 3 de setembro
Outubro 27 de maio 2 de julho 6 de agosto 6 de setembro
Novembro 1º de junho 5 de julho 10 de agosto 8 de setembro
Dezembro 4 de junho 8 de julho 12 de agosto 10 de setembro

Noticias Concursos