Marcello Casal Jr. / Agência Brasil / arquivo

FGTS: Trabalhador poderá antecipar até três anos das parcelas do saque-aniversário; saiba como solicitar

A quantia mínima disponibilizada pelo banco é de R$ 2 mil

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A Caixa faz saber aos interessados a liberação de uma nova linha de crédito que tem como garantia o FGTS. O empréstimo está disponível para quem mudou a modalidade do saque-rescisão para o saque-aniversário e também para aqueles que possuem dívidas atrasadas ou que estão negativados.

O trabalhador pode efetuar a antecipação de até três anos das parcelas do saque-aniversário. A quantia mínima disponibilizada pelo banco é de R$ 2 mil, obtidos pela soma dos três saques aniversários que podem ser antecipados, visto que o valor mínimo por operação, segundo cada período antecipado é de R$ 300.

Quem pode pedir?

Para contratar o empréstimo da Caixa por meio do FGTS, o cidadão precisa atender algumas condições, como:

  • Ser maior de 18 anos ou emancipado pelos pais
  • Estar com CPF em situação regular na Receita Federal
  • Possuir conta poupança ou conta corrente na Caixa

No que se refere às taxas de juros, são as menores cobradas no mercado, de 0,99% ao mês. Vale ressaltar que a data do crédito do último ano não pode ultrapassar o limite de 999 dias a partir do momento da contratação.

Como contratar?

Inicialmente, é preciso aderir à modalidade do saque-aniversário. A solicitação pode ser realizada pelo Internet Banking, aplicativo Caixa ou pelo aplicativo FGTS. Após a adesão do saque-aniversário, basta contratar o empréstimo pela plataforma do FGTS e seguir esses passos:

  • Selecione os períodos e valores que deseja que sejam antecipados – neste momento o sistema realizará uma simulação;
  • Em seguida, insira sua assinatura digital;
  • Por fim, um comprovante da contratação do empréstimo usando o saque-aniversário aparecerá no aplicativo.

FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foi criado com o objetivo de proteger o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta vinculada ao contrato de trabalho.

No início de cada mês, os empregadores depositam em contas abertas na Caixa, em nome dos empregados, o valor correspondente a 8% do salário de cada funcionário.

O FGTS é constituído pelo total desses depósitos mensais e os valores pertencem aos empregados que, em algumas situações, podem dispor do total depositado em seus nomes.

Quem tem direito?

Todo trabalhador brasileiro com contrato de trabalho formal, regido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), e, também, trabalhadores domésticos, rurais, temporários, intermitentes, avulsos, safreiros (operários rurais que trabalham apenas no período de colheita) e atletas profissionais têm direito ao FGTS. O diretor não empregado pode ser incluído no regime do FGTS, a critério do empregador.

Noticias Concursos