Foto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil

Auxilio Emergencial interrompido: veja quem poderá parar de receber o benefício

Milhares de beneficiários reportam os cortes do Auxílio Emergencial, entenda os possíveis motivos abaixo.

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Os participantes que foram aprovados para o recebimento do Auxílio Emergencial deste ano podem não ter acesso a todas as parcelas do benefício.

Isto é, de acordo com a Caixa Econômica Federal, operadora financeira do benefício, isso se dá em razão dos participantes passarem por uma análise mensal. Assim, com informações dos sistemas do governo, há uma análise antes do pagamento de um novo lote de parcelas. Assim, a ação garante que se cumpram todos os critérios de participação do programa por todos os participantes, evitando, portanto, pagamento indevidos.

Desta maneira, caso a Dataprev encontre alguma alteração nas informações inicialmente cadastradas, há a suspensão dos pagamentos. Isso pode acontecer, por exemplo, com a inclusão em um emprego formal com carteira assinada.

Cerca de 1,1 milhão de pessoas tiveram o Auxílio Emergencial cortado durante o mês de junho

Somente durante o mês de junho, houve a interrupção ou cancelamento do benefício de 1.157.856 cidadãos. Dessa forma, estes beneficiários também perderam o direito de receber as parcelas seguintes do benefício, que se prorrogaram até outubro deste ano. Contudo, ainda em alguns casos ainda é possível solicitar o processo de contestação da decisão para ter o reestabelecimento do pagamento.

Assim, de acordo com o Ministério da Cidadania, cerca de 660 mil bloqueios se deram em decorrência de irregularidades que a Controladoria Geral da União (CGU) identificou. No entanto, os outros cancelamentos ocorreram devido à análise mensal da Dataprev. Isto é, rem relação à situação de todos os participantes do programa.

Além disso, o beneficiário pode contestar a decisão do órgão, no caso de corte do pagamento em função das análises mensais. Nesse sentido, caso se identifique que o participante atende todos os critérios de elegibilidade, ele passa a receber todas as parcelas atrasadas do benefício.

Ademais, o governo reitera que vem adotando todas as medidas possíveis para que os valores realmente cheguem às pessoas que mais necessitem. Em conjunto, até o momento, aproximadamente, 39,3 milhões de famílias já tiveram o auxílio do programa. No entanto, o Ministério da Cidadania informou que ainda trabalha no processamento e análise de dados mais recentes presentes em seus bancos de dados.

“Desde abril foram liberados R$ 26,47 bilhões, e foi anunciado, neste mês, um aporte de R$ 20,2 bilhões para o pagamento de mais três parcelas, totalizando um orçamento da ordem de R$ 64,2 bilhões”, acrescentou João Roma, atual ministro da Cidadania.

Confira em quais situações o benefício emergencial pode ser cancelado

  • Em caso de o trabalhador ter sido contratado com carteira assinada logo após a liberação dos valores referentes ao benefício.
  • Inscritos que têm acesso ao seguro-desemprego, benefícios previdenciários ou outros programas federais de transferência de renda.
  • Morte do beneficiário.
  • Recebimento de pensão.
  • Prisão do participante.
  • Militares ou requerentes de classe média.
  • Confira o calendário de pagamento e saque da 4a parcela do Auxilio Emergencial

    Calendário de saques e transferência

    Calendário do Bolsa Família

    Vale lembrar ainda que os inscritos do Bolsa Família não terão o calendário antecipado, tendo em vista que o pagamento do auxílio emergencial para este grupo ocorre justamente no cronograma tradicional do programa social, ou seja, nos últimos dez dias úteis do mês.

    Notícias Concursos