imagem: Nelson Jr./SCO/STF

Fachin dá cinco dias para Bolsonaro se explicar sobre nomeação de reitores

Na solicitação, Fachin também pede explicações para a Advocacia-Geral da União e para a Procuradoria-Geral da República

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) determinou hoje que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) dê explicações “com a máxima celeridade” sobre a nomeação de reitores que não estavam entre os mais votados nas listas tríplices para as universidades federais.

Na solicitação, Fachin também pediu explicações para a Advocacia-Geral da União e para a Procuradoria-Geral da República sobre as nomeações.

O pedido de Fachin atende requerimento da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), que pediu a anulação das nomeações destes reitores realizadas por Bolsonaro.

A entidade argumenta que as nomeações de Bolsonaro atentam contra o princípio e a gestão democrática, o republicanismo, o pluralismo político e a autonomia universitária.

Polêmica na UFRGS

Na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Jair Bolsonaro também ignorou lista tríplice e nomeou ontem o professor Carlos André Bulhões Mendes, que ficou em terceiro, como novo reitor da instituição.

Em 13 de julho, a chapa liderada por Rui Oppermann venceu a disputa interna ao computar 45 votos. A candidata Karla Müller recebeu 29 votos e Carlos Bulhões apenas três.

UOL