Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

Pagamento do FIES é suspenso em 2021

Suspensão do pagamento do financiamento estudantil foi decido pelo Senado

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Da FDR

O Senado Federal aprovou a suspensão do pagamento das parcelas do FIES neste ano. A decisão foi aprovada na última quarta-feira (5). O intuito é que os jovens possam permanecer nas universidades, mesmo com a crise gerada pela pandemia.

Essa não é a primeira vez que o pagamento do Financiamento Estudantil é adiado, devido à situação de calamidade pública, provocada pela pandemia. No ano passado, o decreto vigorou até o dia 31 de dezembro.

Com a nova decisão, a suspensão será válida até o fim deste ano. O autor do projeto é o senador Jayme Campos (Democratas-MT). Em justificativa, Campos afirma que “a proteção da educação formal é uma forma de garantir a qualificação profissional dos cidadãos e promover o desenvolvimento do país”.

Por esse motivo, segundo o senador, é fundamental garantir a permanência dos estudantes para oferecer a oportunidade de uma formação profissional. Atualmente, 3 milhões de estudantes dependem do FIES.

FIES

O programa de financiamento estudantil é realizado pelo Ministério da Educação (MEC) e existe desde 1999. Com o FIES os estudantes podem concorrer ao financiamento de cursos de ensino superior em universidades privadas. O programa possui duas modalidades:

  • FIES: com juros zero para famílias com renda mensal familiar de um a três salários mínimos;
  • P-Fies: juros variáveis, voltado para famílias com renda mensal mais alta.

Essa última modalidade foi incluída em 2008. Com ela é possível realizar financiamentos com bancos privados. A modalidade tradicional só faz acordo com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Dessa maneira, amplia a possibilidade de chances de conseguir uma vaga.

O objetivo é oferecer mais oportunidade de vagas nas universidades particulares aos estudantes brasileiros. O valor a ser pago é combinado a partir de um contrato pré-estabelecido com condições especiais.

A proposta é que o pagamento do financiamento inicie após a conclusão do curso e ingresso no mercado de trabalho. Durante o curso o estudante só precisa pagar as taxas bancárias e as taxas referentes ao seguro de vida. As mensalidades não podem ultrapassar de 10% da renda familiar.

Os valores das parcelas de coparticipação, assim como as taxas e pagamento posterior, dependem do contrato realizado entre o estudante e o banco. Você pode realizar uma simulação no Portal do MEC – FIES.