O Brasil já tem garantido 140 milhões de doses da contra o coronavírus para o primeiro semestre de 2021. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa pelo Ministério da Saúde (MS) nesta quinta-feira (08).

Os imunizantes são do laboratório AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, e do programa Covax Facility, consórcio global da Organização Mundial da Saúde (OMS) para impulsionar a cura da Covid-19. A aliança permite o acesso ao portfólio de nove vacinas em desenvolvimento, além de outras em análise.
Serão necessárias duas doses do medicamento para garantir a imunidade das pessoas. O custo previsto é de R$ 117. O antivírus será financiado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Vacinação

O Plano Nacional de Imunização (PNI) contra o vírus será diferente de outras vacinas. Segundo o MS, será exigido o CPF dos cidadãos para controle.

“Diferente de outras campanhas, ela exigirá a identificação do cidadão, através do uso do CPF. Esse registro vai permitir o monitoramento constante de eventos adversos, todos os sistemas de comunicação estarão conectados”, disse Jacson Venâncio de Barros, diretor do Departamento de Informática do SUS.

(Sbt News)