O deficiente visual Darley Aparecido de Oliveira, de 26 anos, teve uma corrida negada por um motorista da Uber após tentar embarcar no carro com seu cão-guia. Ele tinha acabado de sair de casa no bairro da Mooca, zona leste de São Paulo e tentava ir para a fisioterapia quando o episódio aconteceu.

Imagens de câmeras de monitoramento mostram o momento em que o carro chega e o jovem tenta embarcar. Ele para em pé ao lado do carro por poucos segundos, enquanto parece conversar com o motorista. O carro sai logo em seguida, sem levar o jovem.

O vídeo gravado pela própria vítima mostrou o final da discussão. “Você está cometendo um crime”, diz Darley ao motorista, que ignora o aviso e sai com o carro. Depois do caso, o jovem relatou o problema via app para a Uber, que identificou e desativou o motorista da plataforma.

O Estatuto da Pessoa com Deficiência, em seu artigo de número 117, garante às pessoas com deficiência acompanhadas de cão-guia o direito de entrar e ficar com seus animais em quaisquer estabelecimentos abertos ao público, de uso público e nos privados de uso coletivo.

Outras leis estaduais e federais também proíbem que motoristas parceiros de aplicativo recusem-se a atender passageiros por causa dos animais de serviço, e também qualquer tipo de discriminação contra passageiros que precisem dessa assistência.

Assista:

(R7)