Foto: EFE | EPA

Rússia começa vacinação contra coronavírus com imunizante ainda em testes

Doses da Sputnik V começaram a ser aplicadas nos residentes de um hospital em Moscou; a vacina foi registrada no país em setembro apesar dos ensaios clínicos não terem sido concluídos

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Nesta segunda-feira, 30, a Rússia anunciou que já começou a vacinar a sua população contra a Covid-19. O imunizante que está sendo utilizado é o Sputnik V, que foi registrado no país em setembro sem que os seus ensaios clínicos tivessem sido concluídos. O primeiro lote das vacinas foi destinado ao Hospital Central de Domodedovo, em Moscou, que começou a aplicá-las na semana passada em residentes. Segundo a agência de notícias Reuters, o site do hospital confirma a informação, pedindo que os funcionários interessados em receber a dose se registrem em uma plataforma do governo e apresentem teste negativo para o novo coronavírus. Dados levantados pelo governo russo indicam que o país registrou 26.338 novos casos de Covid-19 só nas últimas 24 horas.

Na última terça-feira, 24, a Rússia divulgou que a Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, tem eficácia acima de 95% contra a Covid-19. Os resultados preliminares teriam sido confirmados 21 dias após a aplicação da segunda dose da vacina e 42 dias após a primeira dose. Apesar dos números positivos, esses dados ainda não foram detalhados ou publicados em revistas científicas. A fórmula foi a primeira vacina contra o coronavírus a ser registrada no mundo, sendo que em outubro a Rússia pediu a aprovação da Organização Mundial de Saúde (OMS) para que ela fosse utilizada para uso emergencial. No entanto, o governo russo é acusado por cientistas por não ser transparente quanto aos testes. (Jovem Pan)