Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News

Após ler na internet sobre os benefícios do uso de cogumelos para tratar transtornos psíquicos, um homem nos Estados Unidos decidiu fazer um chá de cogumelo e injetar o líquido em si mesmo. Ele “filtrou” a bebida com um cotonete antes de aplicar.

Nos dias seguintes, o paciente de 30 anos se tornou letárgico, com a pele amarelada, sentindo náusea, diarreia e vomitando sangue. A família o encaminhou ao hospital, onde chegou muito confuso e sem conseguir se comunicar com os médicos.

Com falência múltipla de órgãos, incluindo fígado e rins, e problemas respiratórios agudos, ele precisou ser transferido para a UTI. Um exame de sangue mostrou que ele apresentava uma infecção bacteriana e uma outra pelo fungo Psilocybe cubensis — o cogumelo que ele ingeriu estava, agora, se multiplicando em seu sangue.

Após ser tratado com antibióticos e antifúngicos, o paciente conseguiu se recuperar. Aos médicos, ele informou que injetou o chá no corpo para tentar lidar com transtorno bipolar (o homem tinha parado de tomar os remédios) e dependência em opioides.

Existem várias pesquisas que sugerem o uso de substâncias presentes em cogumelos como forma de tratar transtornos psíquicos, mas elas precisam se prescritas e acompanhadas por um médico e, geralmente, são em cápsulas. Os tratamentos que injetam substâncias não usam o fungo, apenas um de seus compostos. Não há informações sobre a possibilidade de o paciente ter apresentado alucinações. (Com informações do site Science Alert)