Foguete chinês pode cair no Brasil; saiba quais são as chances – Porto Alegre 24 horas

Foguete chinês pode cair no Brasil; saiba quais são as chances

Vale a pena reforçar que, durante o processo de reentrada, grande parte do foguete deve ser consumido pela atmosfera
CNSA

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A reentrada do foguete chinês CZ-5B tinha 1,86% de chances de ocorrer sobre o Brasil de acordo com cálculo feito pela BRAMON a partir da última previsão de reentrada divulgada na quarta-feira (5). Segundo os cálculos de Joseph Remis, o foguete deveria reentrar por volta das 02h17 deste domingo (9).

Mas como a previsão é feita com muita antecedência, tinha uma margem de erro de mais ou menos 21 horas e, dentro dessa margem, o objeto faria 9 passagens sobre o Brasil.

Novos cálculos divulgados na manhã desta quinta-feira (6) indicam que a reentrada deve ocorrer um pouco mais cedo, à 0h06 de domingo (9), mas com uma margem de erro de 21 horas, o que acrescenta uma passagem a mais sobre a região sul do Brasil e eleva a possibilidade de reentrada sobre o país para 1,92%.

Vale a pena reforçar que, durante o processo de reentrada, grande parte do foguete deve ser consumido pela atmosfera, restando apenas algumas partes mais resistentes e menores, como os tanques de combustíveis, que caem em velocidade bastante reduzida. A chance de que caiam em área habitada e possam causar algum tipo de dano em solo é muito pequena, embora não possa ser desprezada.

Conheça o foguete chinês CZ-5B

O primeiro estágio do Longa Marcha 5B foi utilizado para colocar em órbita o primeiro módulo da estação espacial chinesa Tiangong, na semana passada.

Após cumprir sua missão, a peça foi descartada em uma órbita elíptica ao redor de nosso planeta, que a coloca a 375 km de altitude no ponto mais distante e 170 km no ponto mais próximo.

Mas o atrito com a atmosfera no ponto mais baixo desta trajetória faz com que ela perca energia e se aproxime cada vez mais, até o momento em que irá executar uma reentrada descontrolada.

Objetos de pequeno porte reentrando a atmosfera geralmente são incinerados pelo calor gerado com o atrito, mas o primeiro estágio do Longa Marcha 5B não pode ser considerado “pequeno”: ele tem 33 metros de comprimento e 5 metros de diâmetro, pesando 21 toneladas. Isso significa que uma parte considerável pode atingir “algum lugar” da Terra.

Segundo o site SpaceNews, esta será uma das maiores reentradas descontroladas de uma espaçonave, e os destroços têm o potencial de atingir uma área habitada.

A inclinação orbital de 41,5 graus significa que o primeiro estágio passa um pouco mais ao norte de Nova York, Madri e Beijing, e mais ao sul da região sul do Chile e de Wellington, na Nova Zelândia.

A reentrada pode ocorrer em qualquer local nesta área, que inclui também o Brasil. Considerando que 70% da superfície de nosso planeta é coberta por oceanos, é provável que o primeiro estágio do Longa Marcha 5B atinja um deles.

Fonte: Canaltech

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade