Foto: EFE | EPA

Índia: Corpos de vítimas da Covid-19 aparecem às margens do rio Ganges

Pandemia vem causando a sobrecarga dos crematórios e cemitérios do país; hindus estão espalhando esterco de vaca no corpo na esperança de aumentarem sua imunidade contra o coronavírus

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Cerca de 50 cadáveres de supostas vítimas da Covid-19 foram encontrados às margens do rio Ganges nesta segunda-feira, 10. Eles foram localizados principalmente perto da fronteira entre os estados de Bihar e Uttar Pradesh, dois dos mais pobres da Índia, e serão enterrados ou incinerados por funcionários públicos locais. Alguns deles estavam em estado adiantado de decomposição, o que indica que foram deixados na água há vários dias. A principal suspeita é que os parentes desses falecidos não puderam pagar ou não conseguiram ser atendidos pelos serviços funerários, já que a pandemia do novo coronavírus vem causando a sobrecarga dos crematórios e cemitérios do país. Segundo as estatísticas oficiais, atualmente cerca de 4 mil pessoas morrem de Covid-19 a cada dia na Índia.

Indianos usam esterco bovino contra Covid-19

Essa semana, os médicos da Índia se viram obrigados a alertar que o hábito de espalhar esterco bovino pelo corpo não é capaz de proteger contra a Covid-19 e expõe a outros tipos de doenças. Esse tipo de comportamento se tornou comum no estado de Gujarat, onde algumas pessoas têm ido a currais uma vez por semana para se cobrir com excremento de gado na esperança de aumentarem sua imunidade contra o novo coronavírus. Os crentes fazem orações e homenagens enquanto a mistura seca na pele e depois se lavam com leite. A utilização do estrume em rituais religiosos é muito anterior à pandemia, já que a vaca é um animal sagrado pelo hinduísmo, sendo que os seus excrementos são considerados terapêuticos. (Jovem Pan)