Indonésia aponta que a CoronaVac tem 98% de eficácia na prevenção de mortes – Porto Alegre 24 horas

Indonésia aponta que a CoronaVac tem 98% de eficácia na prevenção de mortes

Estudo preliminar foi feito com dados de profissionais de saúde que receberam a vacina entre janeiro e março deste ano
Foto: Foto: Jonathan Campos/AEN

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Um estudo conduzido pelo Ministério da Saúde da Indonésia concluiu que a CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, foi 98% eficaz na prevenção da morte e 96% na prevenção da hospitalização entre um grupo de profissionais da saúde.

O estudo preliminar analisou dados de 128.290 profissionais de saúde que receberam a vacina entre janeiro e março deste ano, em Jacarta, capital do país. Para obter a efetividade estimada, a pesquisa comparou pessoas vacinadas com pessoas não vacinadas. A idade média dos participantes é 31 anos.

Pandji Dhewantara, pesquisador-chefe e oficial de saúde, disse que o estudo descobriu que o imunizante também previne a infecção sintomática em 94% do grupo. Separadamente, dados da Associação Médica da Indonésia mostraram que o número de médicos que morreram de Covid-19 caiu significativamente desde o início da vacinação no país neste ano.

Em janeiro, 64 médicos morreram devido à doença respiratória, a maior taxa desde o início da pandemia, mas esse número caiu pela metade em fevereiro e caiu para oito no mês passado.

As descobertas promissoras vieram depois que os testes de fase 3 da Indonésia mostraram que a vacina era 65% eficaz. Ensaios na Turquia mostraram que era 91,25% eficaz, enquanto pesquisadores no Brasil disseram que era 50,4% eficaz na prevenção de infecções sintomáticas.

A Indonésia tem se esforçado muito para fortalecer os acordos de vacinas para inocular sua grande população, mas até agora tem confiado amplamente na vacina chinesa devido a problemas de abastecimento global. Quase 9 milhões de pessoas foram totalmente vacinadas até agora, de acordo com o órgão de saúde. O país planeja vacinar 181 milhões de pessoas até janeiro de 2022. (O Sul)

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade