Estudante brasileiro é baleado na cabeça dentro de carro nos EUA – Porto Alegre 24 horas

Estudante brasileiro é baleado na cabeça dentro de carro nos EUA

João Pedro Marchezani, 23 anos, seguia com amigos para um bar quando houve o crime. Família pede ajuda para bancar custos do hospital
Foto: Reprodução | Redes sociais

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Baleado na cabeça há quase um mês, em Chicago, nos Estados Unidos, o brasileiro João Pedro Elisei Marchezani, 23 anos, segue internado em estado crítico. O crime aconteceu na noite de 4 de setembro. Os criminosos abriram fogo, e um dos tiros atingiu João Pedro na cabeça. Ele estava sentado no banco de trás com a namorada e uma amiga.

Confira nossos perfis no Instagram, TwitterFacebook e Telegram e tenha acesso a todas nossas notícias.

Devido ao trauma, João passou por cirurgias complexas para evitar danos cerebrais. Ele hoje respira com a ajuda de aparelhos.

Segundo a família, o osso do lado direito da cabeça foi serrado para a retirada da bala. Além disso, foram colocados dois drenos e um monitor de pressão cerebral.

Campanha

Para pagar os custos do hospital, a família abriu uma campanha no GofundMe.

A mãe do estudante de robótica, Monica Elisei Marchezani, disse que há dois meses, ela, o marido e um filho mais novo se mudaram para Cleveland, em Ohio, e João permaneceu em Chicago. O casal estava na cidade justamente para conhecer o novo lugar onde o filho moraria.

“Nos contaram que ele chegou ao hospital acordado, lúcido, muito assustado. Ele sabia o que tinha acontecido com ele, e dizia que não sentia o lado esquerdo do corpo”, contou a mãe do jovem à reportagem.

O estudante completou 23 anos em 27 de setembro. De acordo com a reportagem, os médicos colocaram um dreno no cérebro, mas o procedimento não foi suficiente para reduzir o inchaço cerebral. João, então, foi submetido a uma cirurgia, na qual chegou a ter uma parte do crânio removida. Em seguida, foi colocado em coma induzido.

“Ele não fala ainda, mas não se sabe se é pelo tempo que passou entubado. Mas conseguimos fazer leitura labial quando ele está mais calmo e menos cansado. Ainda não enxerga, mas seus nervos óticos não foram afetados. Não move o lado esquerdo, mas, pela minha fé, sei que vai mover”, disse a mãe. “Tenho fé de que vou levá-lo para casa”, afirmou, embora os médicos ainda considerem cedo falar em um prognóstico sobre a recuperação.

Segundo a mãe, a polícia tem alguns suspeitos de terem cometido o crime, e a investigação está avançando.

“Graças a Deus, quanto a essa parte, acreditamos que vá ser resolvido, e a Justiça será feita em breve”, contou ao site.

O crime

Na madrugada de 5 de setembro, João estava com a namorada e uma amiga no banco de trás do carro, seguindo em direção a um bar. O motorista percebeu pelo retrovisor que eles estavam sendo seguidos por um motociclista armado e, com medo de um assalto, ele desviou do caminho e deu uma “fechada” no condutor da moto.

Minutos depois, o motociclista reapareceu, acompanhado de uma segunda moto, na qual estava um homem armado, que disparou oito tiros contra o carro em que estava o brasileiro. Somente João foi atingido, com uma bala que entrou pela nuca e atingiu o cérebro.

Os jovens comemoravam o novo apartamento que João e a namorada haviam alugado para morarem juntos. Eles tinham passado a tarde comprando objetos para a nova casa. (Metrópoles)

Mais noticias do Porto Alegre 24 horas

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade