Pescador encontra vômito de baleia avaliado em mais de R$ 7,4 milhões – Porto Alegre 24 horas

Pescador encontra vômito de baleia avaliado em mais de R$ 7,4 milhões

Conhecido como âmbar cinza, substância rara formada no intestino das cachalotes é utilizada na fabricação de perfumes
Foto: reprodução/R7

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

O pescador Narong Phetcharaj retornava para a praia de Niyom, ao sul da Tailândia, após mais um dia de trabalho, quando avistou um algo em meio a correnteza. Ao se aproximar, ele logo desconfiou que a descoberta fortuita poderia valer milhões, uma vez que a massa cerosa à deriva aparentava ser o valioso âmbar cinza ou “vômito de baleia”. A informação é do portal R7.

A palavra vômito está entres aspas pois, tecnicamente, estamos falando de matéria fecal, formada no intestino de uma cachalote. No entanto, presente em uma parcela ínfima da espécie e usada como fixador na produção de perfumes.

Phetcharaj manteve a descoberta longe do alcance de geral, enquanto testava a substância em casa. Por meio de notícias sobre o assunto, ele queimou pequenos pedaços do material. Ao derreterem rapidamente, ele ficou ainda mais animado, já que essa é uma característica do âmbar cinza.

No entanto, para legitimar o tesouro, o pescador levou o material para a avaliação de especialistas da Universidade Príncipe de Songkla. Após análise minuciosa, o resultado deu positivo: Phetcharaj tinha em mãos 30 kg de vômito de baleia, que podem valer aproximadamente R$ 7,4 milhões.

“Pretendo vender o âmbar cinza, porque recebi um certificado que prova que é real”, disse o pescador, em declaração reportada pelo tabloide britânico Daily Mail.

Phetcharaj, que recebe o equivalente a R$ 1.400 mensais com a pesca, agora tem novos planos à frente: “Se eu conseguir um bom preço, vou parar de trabalhar como pescador e dar uma festa para meus amigos”, afirmou.

Fonte R7

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade