Em meio à onda de calor extremo no Sul, cidade argentina enfrenta invasão de besouros – Porto Alegre 24 horas

Em meio à onda de calor extremo no Sul, cidade argentina enfrenta invasão de besouros

Prefeitura de Santa Isabel, na província de La Pampa, ordenou apagar a iluminação pública para tentar enganar os insetos; há registro de danos em propriedades.
Foto: Reprodução/Twitter

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Uma cidade da Argentina foi invadida por milhares de besouros em meio a uma onda de calor sem precedentes que atinge a região nesta semana.

Como medida para tentar reduzir os efeitos do ataque e tentar enganar os insetos, a prefeitura de Santa Isabel, na província de La Pampa, ordenou apagar a iluminação pública.

Segundo a imprensa local, há registro de danos em propriedades públicas e privadas, e dezenas de fotos nas redes sociais mostram os besouros acumulados em tetos e calhas da cidade.

“É impressionante a quantidade”, disse o chefe de polícia Omar Sabaidini ao site regional Info Huella. “Em alguns casos provocaram danos às construções, na delegacia estragaram a cobertura.”

A medida de apagar as luzes durante a noite é uma aposta de Cristian Echegaray, responsável pela administração local, após reunião com o corpo de bombeiros e polícia.

“Resolvemos apagar a iluminação pública porque esse inseto busca lugares iluminados”, justificou Echegaray ao Info Huella.

Cindy Fernández, funcionária do Serviço Meteorológico Nacional, comentou em sua rede social que os animais – chamados em espanhol de cascarudos – “são inofensivos”, mas que voam descontroladamente e saem trombando com força contra tudo o que estiver pelo caminho.

Os insetos, que pertencem à família Melolonthidae (Coleoptera), vivem parte de seu ciclo como larvas enterradas no solo, e no verão com temperaturas crescentes, os adultos vêm à superfície para iniciar sua reprodução – e depois morrem. Com as altas temperaturas deste ano, essa dinâmica foi alterada.

A esperança da população de Santa Isabel, a 860 km de Buenos Aires, é de que os insetos comecem a evitar a área nos próximos dias, por conta da falta de iluminação.

O engenheiro agrônomo Gabriel Lara afirmou que os besouros – assim como outros insetos – são atraídos pela luz, no fenômeno conhecido como fototaxia.

Enquanto isso, moradores e autoridades locais passam o dia retirando os cascudos e enchendo caixas e carrocerias com milhares de besouros para retirá-los da área urbana.

Calor extremo
A onda de calor intensa que atinge a região central da América do Sul nesta semana pode fazer com que cidades na Argentina, Uruguai e Paraguai registrem temperaturas recordes, próximas dos 50ºC. Causado por uma massa de ar quente e seca, o fenômeno repercute também no sul do Brasil, especialmente no Rio Grande do Sul, onde os termômetros podem chegar a 40ºC.

Os primeiros sinais do aquecimento já são sentidos desde segunda-feira (10), quando a cidade de San Antonio Oeste, na Patagônia argentina, registrou 42,8ºC, e a província de Mendoza foi colocada sob alerta vermelho.

Na terça-feira (11), a previsão de máxima de 37ºC para Buenos Aires foi superada e os termômetros marcavam 40ºC por volta das 16h do horário local – a maior temperatura desde 1995.

Segundo o Serviço Meteorológico Nacional (SMN), a capital argentina enfrentou seu quarto dia mais quente em 115 anos, ou desde que os registros passaram a ser arquivados em 1906.

A expectativa é que o calor só cresça nos próximos dias. Os locais mais quentes da Argentina devem registrar entre 45ºC e 47ºC, de acordo com previsões feitas pela MetSul. Os termômetros uruguaios devem ficar entre 41ºC e 43ºC.

Já no Brasil, as temperaturas mais altas no Rio Grande do Sul devem ser marcadas no Oeste do estado, com máximas entre 10ºC e 15ºC acima da média para esta época do ano. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu aviso de perigo para 216 municípios do RS em razão da onda de calor. (O Sul)

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade