Do Sul21

O governo do Estado cedeu às pressões diárias promovidas, sobretudo, pelas emissoras detentoras dos direitos de transmissão e concordou com o retorno do Campeonato Gaúcho de Futebol, o Gauchão. Após reunião com a Federação Gaúcha de Futebol (FGF), o governo autorizou o retorno da competição no dia 23 de julho e a retomada dos treinos com contato físico já para a próxima segunda-feira (13). Até então, estavam liberados apenas os treinamentos individuais.

A liberação ocorre no mesmo dia em que o RS registrou um recorde diário de mortes por covid-19, 45, elevando o total desde o início da pandemia no Estado para 870. Ocorre também no momento em que a Região Metropolitana, onde se concentram a maior parte dos times do campeonato, está sob bandeira vermelha no modelo de distanciamento controlado, bem como a região de Pelotas. Caxias do Sul, do Caxias, campeão da primeira fase do campeonato, também teve atribuída a bandeira vermelha na semana passada, mas foi reconsiderada para laranja após recurso.

Em vídeo divulgado pelo governo do Estado, o governador Eduardo Leite destacou que os protocolos de segurança sanitária propostos pela FGF foram analisados por um comitê científico de especialistas e, a partir disso, considerou-se possível a liberação dos treinos coletivos e dos jogos sem a presença de público.

“O que nós queremos com o futebol é demonstrar para a população, a partir dessa atividade que move as paixões de tantas pessoas, de que com cuidado, com protocolo, com todos os cuidados sanitários, que são robustos nesse conjunto de regras que estão ali estabelecidos, a gente pode se aproximar de um retorno à normalidade”, disse. “Mas é importante dizer, não é volta ao normal, os jogos serão com portões fechados e com todas essas regras. Nós apelamos a todos que se mantenham sem fazer reuniões ou confraternizações em função dos jogos”.

Leite disse ainda que estimulou a FGF e os clubes a pedirem para que os torcedores não façam aglomerações para acompanhar as partidas.

A última rodada do campeonato, antes da parada provocada pela pandemia, foi disputada no dia 15 de março.