Fim da segunda passagem gratuita: Marchezan reúne base após líder do governo criticar medida – Porto Alegre 24 horas

Fim da segunda passagem gratuita: Marchezan reúne base após líder do governo criticar medida

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp





Uma reunião entre o prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan Júnior (PSDB), o vice, Gustavo Paim (PP), e vereadores da base aliada na Câmara ocorre, na tarde desta terça-feira, para afinar o discurso em torno do fim da segunda passagem gratuita para quem usa o cartão TRI, estabelecido em decreto publicado na quarta-feira passada.

Hoje, Paim negou que um atrito tenha se criado na base após o líder de governo ter avaliado que o governo municipal enviou à casa, sem consultar os vereadores e durante o recesso, um pacote de projetos que, segundo ele, retira direitos da população. Nesse domingo, o vereador Clàudio Janta (SD) falou sobre o fim da gratuidade na segunda passagem. “Estamos tirando (direitos) em vez de discutir critérios”, disse o líder do governo. Por ter sido definida via decreto, a mudança não precisa do aval dos vereadores e entra em vigor em fim de agosto.



Após a declaração, Paim teve hoje uma conversa direta com Janta para aparar as arestas, no fim da tarde. O vice-prefeito reconhece que descontentamentos podem vir a ocorrer, mas que as declarações do vereador foram mal interpretadas pela imprensa. “Não acredito em ruído. Estamos amadurecendo a análise das matérias, apenas isso. Não há nenhum direito que tenha sido tirado. As vezes o que pode ter é uma leitura, talvez, um pouco açodada ou má compreensão de uma entrevista, que pode ter alguma fala analisada fora de contexto”, sustenta.

Paim reforça que, assim como Janta, os demais vereadores também vão compreender as medidas tomadas pelo Executivo, em função da crise financeira enfrentada pela Prefeitura. O vice-prefeito garantiu, ainda, não haver racha na Câmara e avaliou que os vereadores aliados compõem uma “base sólida”.

Consultado mais uma vez após a reunião com o vice-prefeito, Janta reiterou a convicção de que o decreto e os projetos sobre o transporte coletivo, enviados à Câmara na semana passada, suprimem direitos do trabalhador. (Lucas Rivas/Rádio Guaíba)



Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade