Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News




O superaquecimento de um carregador de celular falsificado, conectado à parede em um quarto de hotel em Penha, no Litoral Norte catarinense, causou um incêndio com prejuizos de mais de R$ 15 mil. O laudo com o resultado da perícia no local foi divulgou na terça-feira (25) pelo Corpo de Bombeiros de Itajaí. O caso ocorreu no dia 8 de julho e não houve feridos.

“Quem nunca deixou um celular carregando? Esses equipamentos em si, quando possuem o selo da Anatel, geralmente não causam esse tipo de dano. A culpa está, ao meu ver, na irresponsabilidade dos que falsificam esses produtos”, disse o segundo tenente Sanino, que realizou a perícia no local.

O carregador não tinha dispositivos de segurança nas placas de circuito, segundo os bombeiros, elementos importantes para não sobrecarregar energia quando o celular não esteja conectado.




Na investigação dos bombeiros, foi detectado que um hóspede do Vilarejo Parque Hotel teria deixado o carregador de celular na tomada do quarto, ao lado da cama, e saiu do local. O colchão do quarto serviu como objeto de propagação de chamas, por ser considerado inflamavél, e pegou fogo em contato com o fio do aparelho.

Apesar de o sistema hidráulico preventivo do hotel ter sido utlizado para conter as chamas, pela própria equipe do local antes da chegada dos bombeiros, o hotel não estava com o alvará do Corpo de Bombeiros emitido e não tinha detector de fumaça nos quartos.

Danos no quarto

Conforme o administrador do hotel, Rudinei Celestino, até o final do mês a reforma do quarto deve estar pronta e o local poderá voltar a ser ocupado. O prejuízo total está estimado entre R$ 15 mil e R$ 20 mil.

“Todo o quarto precisou ser reformado. O resto do hotel só precisou de pequenos reparos, mais pela fumaça”, disse Celestino. Segundo ele, o relatório foi recentemente apresentado à direção. Com isso, o hotel ainda consultará o setor jurídico para verificar se entrará com alguma ação.

Explosão em Teresina

Um jovem quase ficou ferida após o seu aparelho celular explodir em cima da cama, enquanto ela dormia. O acidente aconteceu na madrugada da última terça-feira (25) em Teresina. A jovem informou que o aparelho explodiu quando estava carregando no carregador original do celular. “Botei ele para carregar em cima da cama, por volta de 23h30. Quando foi 01h15, eu só escutei um barulho apitando, e logo em seguida o celular explodiu. Acordei assustada, e joguei ele no chão”, disse.

Segundo o Corpo de Bombeiros local a recomendação inicial é que as pessoas usem carregadores homologados pela Anatel, que é o carregador original. Esses carregadores têm um dispositivo que interrompem a carga quando ela chega no limite máximo. Quando você compra um equipamento com uma voltagem diferente ou com a amperagem diferente ele sobrecarrega o aparelho. Outra recomendação é evitar colocar para carregar o parelho em cima de locais de fácil combustão, como a cama, sobre papel. E por último, tentar não atender telefone quando ele estiver carregando. (O Sul)