Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp





Qualquer calça é injustiçada durante o verão, já que numa estação quente, a melhor alternativa sempre será qualquer peça soltinha e leve para vestir no dia a dia. E a nova queridinha das ruas é a calça Cochard, que foi febre nos anos 80 e está de volta conquistando totalmente o público, garantiu a consultora de moda Thais Moretzohn.




A calça Clochard tem um corte diferenciado, que se caracteriza pela cintura justa, quadril mais folgado, a cintura alta, pregas que iniciam logo abaixo do cós e a barra é mais curta e justa. O que antes era usado apenas em tecidos mais estruturados, hoje pode trazer um perfil esportivo e descolado para quem optar pela peça, já que ganhou novas versões e roupagem, sendo assim a calça pode ser usada desde ambientes sociais até os mais descontraídos, dependendo das combinações

Formas do corpo

As versões mais comum são de tecidos de linho alfaiataria e Oxford, estas opções mantém a temperatura correta do corpo, e pode ser indicada para a primavera, porém vale procurar tecidos mais leves para dias mais quentes. “Este é um modelo que requer muita atenção na hora da escolha, ele tende a afinar e modelar a cintura, desta forma as pessoas que querem esconder o quadril, ela não é indicada, pode dar a sensação de amplitude maior na região”, disse Thais.





Porém, quem gosta e assume as formas de seu corpo a dica e usar em cores neutras como preto, bege, branco e cinza é super fácil de combinar e chamará menos atenção para o quadril. A calça clochard já é o ponto central de qualquer look, então a combinação deve ser feita com peças simples e que chamem menos atenção, para o trabalho basta combinar com uma camisa de seda, ou qualquer outro tecido fluido, para os pés opte por um scarpin, ou oxford.

Nos dias de lazer a opção é investir em tecidos diferentes, como jeans, couro ou até moletom, já para a parte de cima aposte em camisetas estampadas e despojadas, para este look, tênis ou sandálias podem ser essenciais para dar o conforto necessário, sem perder a criatividade. (Correio do Povo)