Secretaria da Saúde alerta viajantes sobre cuidados com o Aedes aegypti

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp





Alerta epidemiológico emitido nesta quinta-feira, 28, pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio das equipes de Vigilância das Doenças Transmissíveis e de Roedores e Vetores da Vigilância em Saúde Municipal, enfatiza para viajantes e profissionais da saúde a importância dos cuidados com as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti no período de férias. Pessoas que viajarem para locais com transmissão viral de dengue, chikungunya e zika, devem adotar medidas de proteção individual, como uso de repelentes, incluindo as gestantes. No retorno a Porto Alegre, em caso de presença de sintomas de qualquer dessas doenças, a indicação é para a busca de atendimento médico o mais rápido possível.

Considerando o aumento do índice de infestação vetorial e o período de maior frequência de viagens, os técnicos das equipes lembram aos profissionais de saúde da cidade para que tenham o máximo de atenção no atendimento a pacientes que apresentarem quadros clínicos compatíveis com as doenças, entre eles:




Dengue: Caso suspeito – febre alta de início súbito, com duração máxima de sete dias, acompanhada de pelo menos duas das seguintes manifestações: cefaleia, dor retro-ocular, mialgia, artralgia, exantema, náuseas, vômitos, petéquias, prova do laço positiva ou leucopenia.

Chikungunya: Caso suspeito – fase aguda – paciente com febre alta de início súbito, com duração máxima de sete dias, acompanhada de artralgia ou artrite intensas de início súbito e não explicadas por outras condições. Pode estar associado à cefaleia, mialgias e exantema. Considerar história de deslocamento nos últimos 15 dias para áreas com transmissão de Chikungunya.

Zika vírus: Pacientes que apresentem exantema maculopapular pruriginoso, acompanhado de pelo menos dois dos seguintes sinais e sintomas: febre baixa ou inaparente, hiperemia conjuntival sem secreção e prurido, poliartralgia, edema periarticular.




Todos os casos suspeitos devem ser notificados à Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis da SMS. A notificação desencadeará medidas de controle ambiental ao vetor Aedes aegypti, ação essencial para diminuir o risco de transmissão viral. Até o momento não foi detectada a presença do vírus das doenças em todas as fêmeas do mosquito capturadas nas 935 armadilhas de monitoramento mantidas pela prefeitura em 31 bairros de Porto Alegre.

Acesse o alerta aqui