Brincadeira perigosa: o desafio de comer detergente já causou quase 100 intoxicações. Os jovens que participam do desafio têm publicado os vídeos nas redes sociais – Porto Alegre 24 horas

Brincadeira perigosa: o desafio de comer detergente já causou quase 100 intoxicações. Os jovens que participam do desafio têm publicado os vídeos nas redes sociais

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp





O consumo de cápsulas de detergente líquido, sobretudo por adolescentes, provocaram 86 casos de intoxicação apenas nas três primeiras semanas de 2018, informou um relatório divulgado pela AAPCC (Associação Americana de Centros de Controle de Veneno, na sigla em inglês).

Segundo os dados, que foram atualizados até 21 de janeiro, o número de casos entre pessoas de 13 e 19 anos ocorridos neste ano já é mais do que todos os registrados no ano passado (57 intoxicações) e em 2016 (36).




Recentemente, diversos adolescentes publicaram vídeos nas redes sociais em que mastigam cápsulas de detergente e desafiam outras pessoas a fazerem o mesmo. O episódio ficou conhecido como “Tide Pod Challenge” e tem atingido, inclusive, youtubers.

“Não podemos enfatizar o quanto isso é perigoso para a saúde dos indivíduos. Isso pode levar a convulsões, edema pulmonar, parada respiratória, coma e até a morte”, explica Stephen Kaminski, CEO da AAPCC. Para tentar combater este desafio, os gigantes da web e associações têm lançado campanhas de sensibilização no Facebook.

Em Portugal, o CIAV (Centro de Informação Antivenenos) do INEM publicou um comunicado em sua página. “Comer cápsulas é estúpido! Come bolachas”, diz o texto.

Além disso, o YouTube se prontificou a deletar qualquer vídeo de pessoas comendo as cápsulas e a Amazon disse que está trabalhando para remover os comentários que fazem apologia à ingestão do detergente.



Desafio de jogo on-line

Em outubro de 2016, no litoral de São Paulo, um adolescente de 13 anos morreu menos de 24 horas depois de ser encontrado dentro do quarto do pai com uma corda enrolada no pescoço e em frente a um computador. O incidente teve relação com o desafio de um jogo on-line do qual o garoto brincava com amigos e acabou perdendo.

A corda utilizada pelo menino sustentava um saco de boxe no teto do quarto. Após o enforcamento, o estudante chegou a ser socorrido com vida, mas acabou morrendo.

O garoto jogava o game League of Legends. Quando alguém perdia o jogo, os participantes davam ao perdedor o desafio do Choking Game ou “jogo da asfixia”, em que a pessoa interrompe o fluxo de ar com as mãos ou com objetos para induzir desmaios, tontura ou estado de euforia.




O menino brincava com outros três colegas quando aconteceu o enforcamento. O mais chocante é que a cena foi acompanhada em tempo real pelos outros participantes do jogo, já que todos usavam a internet com uma webcam conectada para se comunicar.

Pela transmissão ao vivo da webcam, os colegas perceberam que a vítima parecia estar “desfalecida” e pediram para que uma prima, que estava no quarto ao lado, fosse verificar. Assustada, a garota chamou os tios, que conseguiram reanimar o menino e o levaram até o hospital. (O Sul)



Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade