Obras do novo trecho da ciclovia da Ipiranga estão 80% finalizadas – Porto Alegre 24 horas

Obras do novo trecho da ciclovia da Ipiranga estão 80% finalizadas

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp





As obras de ciclovia que estão sendo realizadas na avenida Ipiranga, entre as ruas João Guimarães e Silva Só, no sentido bairro/Centro, estão com 80% dos trabalhos concluídos. Na manhã desta quinta-feira, as equipes acertavam os detalhes para a compactação da brita colocada no trecho. O próximo passo será colocação do asfalto ao longo dos 400 metros da estrutura.

Em razão dos trabalhos realizados foi necessário o bloqueio de uma das quatro faixas da avenida Ipiranga, na altura do ginásio da Brigada Militar, no sentido bairro/Centro. A construção da ciclovia iniciou em fevereiro deste ano. O valor de aproximadamente R$ 640 mil foram financiados pela construtora Melnick Even, em contrapartida aos empreendimentos Grand Park Lindóia e Hom Nilo Peçanha.




Com a conclusão do trecho, a ciclovia da avenida Ipiranga passará a ter 3.150 metros – da avenida Beira-Rio até a rua João Guimarães (sem levar em consideração mudanças de lado pelo eixo).

Mais ciclovias

Com o objetivo de incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte e dotar a cidade de uma rede cicloviária que propicie segurança e comodidade ao ciclista, Porto Alegre aprovou em 2009 o Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI).

Em 2003, uma pesquisa feita pela prefeitura menos de 1% das viagens diárias dos moradores de Porto Alegre eram realizadas com bicicleta. Na época, os estudos demonstraram que uma rede completa de ciclovias e bicicletários que permitissem circular e estacionar com conforto e segurança, poderia fazer com que 10% dessas viagens se realizassem por bicicleta – cerca de 300 mil viagens por dia no ano de 2022.




Os estudos foram consolidados em uma minuta de projeto de lei encaminhado à Câmara de Vereadores, que aprovou o PDCI por meio da Lei Complementar 626 em 15 de julho de 2009. Entre os instrumentos previstos estava a criação de uma rede cicloviária estrutural que cobrisse todo o território da cidade composto por 495 km de vias que deveriam necessariamente receber ciclovias ou ciclofaixas. (Correio do Povo)



Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade