Suzane Von Richthofen e Anna Carolina Jatobá deixam a prisão para o Dia das Mães – Porto Alegre 24 horas

Suzane Von Richthofen e Anna Carolina Jatobá deixam a prisão para o Dia das Mães

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp





A detenta Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, deixou o presídio em Tremembé (SP) às 8h10min de quinta-feira (10) beneficiada pela saída temporária de Dia das Mães. Esse é o 3º ano consecutivo que ela é colocada provisoriamente em liberdade na data.

Além dela, outras detentas também deixaram o presídio para a saída temporária, entre elas, Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada Isabela Nardoni. A saída é um benefício concedido aos presos do regime semiaberto e que tem bom comportamento. Suzane deverá retornar ao local na terça-feira (15) até 17h.




Ao sair da prisão, Suzane foi recebida pelo noivo, um empresário de Angatuba (SP). Eles deixaram o local de carro. Suzane não deu entrevista. Essa deve ser a última vez que presa obtém saída temporária no Dia das Mães. Isso porque ela pleiteia o regime aberto, desde junho do ano passado, para cumprir o restante da pena em liberdade. Ela está presa em Tremembé desde 2006. O pedido será analisado pela Justiça – a expectativa é que isso ocorra em breve, mas não há prazo.

Teste

Suzane fez o teste de Rorschach, popularmente conhecido como “teste do borrão de tinta”. O exame, cujo resultado deve sair nos próximos dias, vai auxiliar a Justiça na decisão sobre o pedido da defesa para que Suzane cumpra o restante da pena em liberdade.

Conforme apurou a reportagem, uma psicóloga designada pelo judiciário e credenciada aos quadros de prestadores de serviço do Tribunal de Justiça de São Paulo esteve na penitenciária 2, onde Suzane é interna, para aplicar o teste, que leva cerca de duas horas.




O exame consegue captar elementos e traços da personalidade profundos dos pacientes analisados e serve para identificar, por exemplo, se Suzane corre o risco de cometer crimes novamente e se está apta ao convívio em sociedade. O teste é ainda um complemento ao exame criminológico tradicional, que Suzane já foi submetida e teve parecer favorável.

Aos submetidos ao exame são apresentadas pranchas com manchas de tinta e o psicólogo pede para o paciente analisar o que percebe nestes “borrões” e, na psicologia, as respostas mostram seus traços de personalidade e como a pessoa enxerga as pessoas e o ambiente ao redor.



Saidinha

Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada Isabela Nardoni, também saiu da presídio na quinta. Ela, que é interna do mesmo presídio que Suzane, foi condenada por matar a enteada em 2008.

Anna e o marido, Alexandre Nardoni, que também está preso em Tremembé, pediram a redução da pena ao STF (Supremo Tribunal Federal). Ele foi condenado a 30 anos e dois meses de prisão enquanto a madrasta da menina teve como pena 26 anos e oito meses de cadeia. Eles aguardam análise do pedido.



Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade