A comemoração do gol do México causou um terremoto imperceptível – Porto Alegre 24 horas

A comemoração do gol do México causou um terremoto imperceptível

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp





O gol do México contra a Alemanha causou um terremoto “artificial” na Cidade do México, segundo informações do Instituto de Investigações Geológicas e Atmosféricas A.C., em seu perfil no Twitter.

O abalo, segundo a rede de monitoramento sísmico do México, foi originado de maneira artificial e foi causado, provavelmente, por “saltos massivos” durante o gol de Hirving Lozano, 22 anos, o mais jovem da atleta da seleção mexicana, ocorrido aos 35 minutos do 1º tempo, durante partida do Mundial ocorrida no domingo (17).

O tremor de terra gerado pela comemoração dos torcedores mexicanos também foi identificado pela Sismologia Chile. “Devemos desativar alguns sensores para evitar que isso continue ocorrendo durante o Mundial”, informou o instituto chileno.




Vitória 

Aceso desde o início, o México foi muito mais perigoso durante toda a partida, sempre roubando bolas e acelerando no contra-ataque. Já a Alemanha fez um primeiro tempo apático, melhorou no segundo e se lançou à frente, mas não conseguiu encontrar a inspiração para furar a defesa rival e deixou muitos espaços atrás.

Lozano marcou o gol da primeira vitória da seleção mexicana em cima dos europeus em um Mundial. Quem classificar deste grupo pode enfrentar o Brasil nas oitavas.

O ponta do PSV foi uma dor de cabeça constante para os alemães, especialmente no primeiro tempo. Rápido e habilidoso, ele foi a principal válvula de escape do time mexicano e fez um lindo gol ao receber pela esquerda, dar um corte seco na marcação e bater forte, sem chances para Neuer. No segundo tempo, cansou e foi substituído por Osorio.




A Alemanha sucumbiu diante da grande atuação do adversário no primeiro tempo. A intensidade e a disciplina do México contrastaram bastante com a displicência dos europeus, que circularam a bola em ritmo lento e facilitaram os botes do rival. Quando os mexicanos recuaram para proteger a própria área, os alemães não mostraram inspiração para furar o bloqueio, recorrendo a bolas levantadas sem sucesso. A única chance foi uma cobrança de falta de Kroos, que parou em grande defesa de Ochoa.

A postura agressiva do México inflamou a torcida do país, que compareceu em ótimo número ao estádio Luzhniki. Desde os 15 minutos do primeiro tempo, os mexicanos gritaram “olé” a cada vez que a seleção trocava alguns passes, e  vaiaram todos os momentos de posse de bola da Alemanha. Além disso, usaram o tradicional grito homofóbico de “puto” em momentos em que o goleiro Neuer tocou na bola, contrariando pedido expresso da federação mexicana.

Com o resultado, a Alemanha figura no grupo de campeões do Mundial anterior que não venceram na estreia da competição seguinte, como o fez em 1978, quando empatou com a Polônia. Em 2014 a Espanha perdeu da Holanda, em 2010 a Itália empatou com o Paraguai e, em 2002, a França perdeu para o Senegal. (O Sul)



Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Para mais informações, incluindo como configurar as permissões dos cookies, consulte a nossa nova Políticas de privacidade