Foto: Reprodução

Carrefour diz que fará “rigorosa apuração” após morte de homem negro em Porto Alegre

João Alberto Silveira Freitas fazia compras com a esposa quando foi retirado da loja e espancado por dois seguranças

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

O Carrefour divulgou uma nota na noite dessa quinta-feira (19/11) após dois seguranças de uma unidade da rede de hipermercados matarem um homem negro espancado, na Zona Norte de Porto Alegre. A empresa informou que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos no homicídio. Também afirmou que romperá contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram o crime.

“O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário”, diz a nota.

A empresa afirma que começou uma “rigorosa apuração interna” e diz tomar todas as medidas para que os responsáveis sejam punidos legalmente.

Brutalidade

O espancamento de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, ocorreu na noite de quinta-feira e foi precedido por uma discussão dentro do estabelecimento com uma funcionária, um segurança e um policial militar temporário. Os dois homens foram detidos e presos em flagrante por homicídio qualificado.

A Brigada Militar (BM) afirmou que a confusão teria começado no caixa do supermercado. Segundo a versão da brigada, a vítima fazia compras com a esposa e teria ameaçado agredir a funcionária, que chamou a segurança.

De acordo com a BM, a vítima passou a brigar com a dupla por não aceitar sair do local. A versão diverge do que dizem as testemunhas do crime, segundo as quais João Alberto foi seguido e agredido na saída.

(Metrópoles)