Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

A unidade do Carrefour Porto Alegre Passo D’Areia permanecerá fechada nesta quinta-feira (26/11) em “respeito ao luto da família de João Alberto e à sociedade brasileira”. As demais lojas só abrirão às 14h.

O Carrefour informou que todos os colaboradores participarão de ações de conscientização antirracista e tolerância zero a qualquer discriminação.

Além disso, todo o dinheiro das vendas de quinta e sexta-feira (27/11) será somado às vendas do Dia da Consciência Negra e destinado ao Fundo de Combate ao Racismo e Promoção da Diversidade criado pelo Carrefour, que já tem aporte inicial de R$ 25 milhões.

A rede de mercados também destaca que criou um Comitê Externo de Livre Expressão sobre Diversidade e Inclusão, formado por reconhecidas autoridades no assunto, para auxiliar o Carrefour em diretrizes e ações contra o racismo e racismo estrutural existente no Brasil.

O Carrefour informou que todos os colaboradores participarão de ações de conscientização antirracista e tolerância zero a qualquer discriminação.

Além disso, todo o dinheiro das vendas de quinta e sexta-feira (27/11) será somado às vendas do Dia da Consciência Negra e destinado ao Fundo de Combate ao Racismo e Promoção da Diversidade criado pelo Carrefour, que já tem aporte inicial de R$ 25 milhões.

A rede de mercados também destaca que criou um Comitê Externo de Livre Expressão sobre Diversidade e Inclusão, formado por reconhecidas autoridades no assunto, para auxiliar o Carrefour em diretrizes e ações contra o racismo e racismo estrutural existente no Brasil.

Morte em unidade do Carrefour

Em Porto Alegre (RS), um homem identificado como João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado por seguranças do supermercado Carrefour, no bairro Passo D’Areia, na zona norte da cidade, no último dia 19. De acordo com informações de testemunhas, a vítima teria discutido com os agressores, que foram presos em flagrante.

Um dos detidos é policial militar temporário — ele prestava serviço no local e foi levado a um presídio da corporação. O outro é segurança do Carrefour e está em uma unidade da Polícia Civil. Eles foram autuados por homicídio qualificado.

Os dois funcionários teriam posto João Alberto Silveira Freitas para fora da loja. A partir de então, as versões do fato são divergentes.

Segundo afirma a Brigada Militar, a vítima passou a brigar com os seguranças por não aceitar ser retirada do local. Testemunhas que estavam no supermercado relatam que o homem foi seguido pelos dois seguranças dentro do estabelecimento e agredido na saída. (Metrópoles)