Siga o Porto Alegre 24 Horas no Google News Entre no grupo do Whatsapp

Mesmo sem que nenhuma vacina contra a Covid-19 tenha sido liberada para uso nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump afirmou que começará a distribuir da vacina contra o coronavírus no país na semana que vem ou na próxima. “O mundo inteiro está sofrendo e nós estamos arredondando a curva. As vacinas serão entregues na semana que vem ou na seguinte”, disse Trump em discurso para as tropas norte-americanas transmitido via chamada de vídeo.

A declaração foi dada em ocasião do feriado de Ação de Graças, comemorado no dia 26 de novembro. De acordo com Donald Trump, funcionários que trabalham na linha de frente contra a Covid-19, pessoal médico e idosos serão os primeiros a serem imunizados.

O órgão de regulamentação norte-americano Food and Drug Administration (FDA), contudo, só deve avaliar o pedido de uso emergencial da vacina da Pfizer-BioNTech no dia 10 de dezembro. Sem essa autorização, a aplicação da vacina não pode ser iniciada.

Trump afirmou que a vacinação em tempo recorde só acontecerá graças a sua gestão, que teria sido bem sucedida ao pressionar a FDA a agilizar os processos. Donald Trump pediu que as pessoas não deixassem Joe Biden levar os créditos pelo feito. “Joe Biden falhou com a gripe suína, H1N1. Não deixem ele levar os créditos pelas vacinas porque as vacinas são minhas, eu pressionei as pessoas como elas nunca foram pressionadas antes e nós conseguimos as aprovações”, afirmou.

Uma vez aprovada para uso emergencial, o plano do governo dos Estados Unidos é distribuir 6,4 milhões de doses da vacina Pfizer-BioNTech. A iniciativa governamental Warp Speed, criada por Trump para garantir o acesso à vacina para os americanos, tem afirmado que 40 milhões de doses da vacina estarão disponíveis até o final de dezembro.

Fonte: Metropoles