Decisão judicial irá determinar o pagamento aos empregados da Multiclean, em Porto Alegre

A prefeitura se mantém em dia com os pagamentos à empresa, que é quem paga os salários dos funcionários.

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A prefeitura aguarda decisão judicial para efetuar o pagamento aos empregados da terceirizada que oferece mão de obra de cozinha e limpeza nas escolas da rede municipal de ensino. Na manhã desta segunda-feira, 7, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) e a Procuradoria Geral do Município (PGM) se reuniram com representantes da empresa e do sindicato que representa os trabalhadores do setor. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou na semana passada o arresto de R$ 3,2 milhões, o que impede o Município de efetuar outros pagamentos à empresa. A prefeitura irá pagar via Justiça os valores proporcionais aos dias em que o serviço foi realizado, já que houve falta de trabalhadores em escolas municipais, prejudicando o atendimento aos alunos.

O sindicato e o Município deverão peticionar ao juízo requerendo o pagamento de valores referentes ao mês de novembro: salários, o saldo de vale-transporte e de vale-alimentação e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Em reunião nessa quinta-feira, 3, junto ao Ministério Público do Trabalho, a empresa havia se comprometido a apresentar os documentos necessários para o pagamento na sexta-feira, 11, o que não ocorreu.

A prefeitura se mantém em dia com os pagamentos à empresa, que é quem paga os salários dos funcionários.