Foto: Arquivo pessoal

Natal Feliz: Comunidade do Jardim Cascata se mobiliza para garantir um brinquedo para suas crianças

Crianças da comunidade do Jardim Cascata passaram a ter aula de capoeira uma vez por semana.

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Marco Weissheimer | Sul21

A comunidade do Jardim Cascata, bairro Glória, em Porto Alegre, promove neste sábado (19), a partir das 13 horas, com o apoio do Centro Africano Santa Luzia, o Natal Feliz, uma atividade voltada para as crianças da comunidade, que vive uma situação de vulnerabilidade social, agravada após meses de pandemia do novo coronavírus. Segundo Morgana Alves, que dirige a casa de religião Santa Luzia, a atividade que será realizada neste sábado faz parte de um trabalho anual de apoio e solidariedade a famílias da comunidade. “O Natal Feliz é só para as crianças não ficarem sem receber nada. Estamos desenvolvendo já há alguns meses essa Campanha do Natal Feliz. As pessoas hoje não tem um arroz, um feijão na mesa. Imagina se vão ter um brinquedo pra dar para as crianças”, resume.

Morgana Alves é transsexual, comanda a Casa Santa Luzia e, mesmo com um sério problema de insuficiência cardíaca, vem se dedicando nos últimos anos a ajudar famílias que vivem em situação de extrema pobreza na região. A Casa Santa Luzia foi se tornando uma referência de apoio na comunidade, resolvendo problemas imediatos de moradia, alimentação e roupas. “Aqui em Casa já teve 30 moradores de rua, dependentes químicos, de uma vez só. A maioria deles vem aqui em casa hoje, estão livres da droga e da dependência química, são homens e mulheres que passaram a ajudar os outros como anjos sem asas, voluntários que doam e fazem entregas.

Com a pandemia do novo coronavírus, relata Morgana, o numero de pessoas sem emprego e sem comida aumentou muito. “A comunidade foi esquecida pela Prefeitura e pela Assistência Social. É uma comunidade de negros, indígenas e de pessoas de raças misturadas. Temos pessoas doentes, sem emprego, sem roupas e sem alimentos. A Casa Santa Luzia tenta auxiliar esses moradores como pode. Até os axés e trabalhos que são cobrados pela Casa são transformados em sacolas básicas. Temos pessoas que vivem sem um fogão em casa, ou que perderam tudo no temporal da semana passada”, afirma ainda.

Morgana faz questão de dizer que não é candidata a nada nem está pedindo na para ela ou para a sua religião. “O nosso único objetivo é ajudar o próximo. Hoje, a casa ajuda com 30 a 50 sacolas por mês. Esse mês ficou apertado, porque o número de pessoas desempregadas só aumenta. Eu fui atrás de ajuda e conheci algumas pessoas, entre elas a cacica Alice (do Centro de Referencia Afro Indígena), que estão nos ajudando a aumentar nossa rede de apoio”.

A comunidade do Jardim Cascata, assinala Morgana, tem aproximadamente 400 crianças, fora os adultos. Elas passaram a contar, às segundas-feiras, com o trabalho voluntário do professor Israel que dá uma instrução de capoeira neste dia, “o que já dá uma esperança para as crianças e tira elas da rua, ao menos por alguns momentos”. “Nós temos esperança nas nossas crianças e queremos mostrar pra elas que elas podem se transformar em um médico, um professor, um gerente. Queremos valorizar nossas raízes de negros e indígenas e mostrar pra elas que temos um futuro pela frente. Não sou eu que estou fazendo isso. É a própria comunidade que está se erguendo”, enfatiza.

O Natal Feliz deste sábado é mais um passo nesta direção. “A comunidade está muito debilitada, passando por extrema necessidade. Toda ajuda é bem vida, Hoje, por exemplo, tem três famílias que não tem nada pra comer. Estou esperando uma doação pra levar alimento pra elas”, resume Morgana.

A campanha aceita doações de roupas, roupas de cama, colchão, alimentos e, neste sábado, principalmente brinquedos para as crianças. Podem ser brinquedos usados ou mesmo com algum defeito, pois já há voluntários para fazer reparos e consertos. As doações podem ser entregues na rua Janio Quadros, 365, Jardim Cascata. Interessados em apoiar a campanha também podem entrar em contato pelos telefones/whats (51 995372027 – 51 3211-8335).